Coronel Armando se filia ao partido de Bolsonaro neste sábado

Texto: Felipe Silveira
Foto: Câmara dos Deputados

Eleito na onda bolsonarista de 2018 e um dos mais ferrenhos defensores da extrema-direita no Congresso, o deputado federal Coronel Armando se filia ao Partido Liberal (PL) neste sábado (19), às 10 horas, em Brasília. Não é surpresa para ninguém, já que o parlamentar com base eleitoral em Joinville sempre deixou claro que seguiria Jair Bolsonaro para onde quer que ele fosse.

“Escolhi me filiar ao PL para acompanhar o presidente Jair Bolsonaro, aquele que me fez entrar na política. E, também, porque vejo que o PL de Santa Catarina, estando nas mãos do senador Jorginho Mello, é um partido alinhado com as ideias do presidente e eu me encaixo dentro da forma de trabalhar do partido, pois estou alinhado com Bolsonaro e com nosso pré-candidato a governador do estado, Jorginho Mello”, explicou o deputado sobre sua decisão.

Armando foi eleito pelo PSL, partido que Bolsonaro ocupou para ganhar a eleição de 2018. Chegou a brigar pela direção do partido em Joinville, no início do mandato, mas largou a disputa assim que Bolsonaro e o PSL se desentenderam. Armando seguiu ocupando o PSL enquanto Bolsonaro escolhia o novo partido, o que ocorreu no final do ano passado. Durante esse processo, o PSL também tomou novo rumo e se fundiu ao DEM, gerando o União Brasil.

No meio do mandato, Bolsonaro tentou criar a própria sigla, o Aliança pelo Brasil, e fracassou miseravelmente. Armando foi um grande entusiasta do projeto, fazendo o trabalho de filiação em SC. Quando o presidente percebeu que não ia dar certo, largou a empreitada e passou a negociar com partidos que poderiam recebê-lo.

O ato deste sábado deve contar com várias filiações ao PL e terá a participação de Jair Bolsonaro.

PL local

Com a entrada de Armando, o PL passa a ter no deputado federal sua maior figura. Até o momento, o vereador Maurício Peixer, que preside a câmara municipal, é o principal expoente da sigla. Parlamentar com mais experiência no legislativo local, Peixer conseguiu a presidência da CVJ por meio de uma aliança com a prefeitura de Adriano Silva, do partido Novo, que elegeu três vereadores.