VISÃO PANORÂMICA — Antídio responde, deputados atacam transexuais e conferência não tem data

Por Felipe Silveira

Todos os dias (ou quase), cinco ou mais notas sobre a política de Joinville e/ou de Santa Catarina. Veja os destaques desta segunda-feira, 21 de fevereiro de 2022:

Papelão

Depois de chamar a atenção nacionalmente por mentir sobre Lula, o deputado estadual joinvilense Kennedy Nunes apareceu em coluna do jornal Folha de S. Paulo por zombar de pessoas transexuais. “Você que é homem, quer se aposentar mais cedo? Vira trans”, disse em um vídeo, aludindo à decisão recente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC), que passa a considerar o gênero do registro civil para o cálculo da aposentadoria de servidores.

O deputado estadual Bruno Souza (Novo) também foi citado. Segundo a coluna, ele disse que as pessoas podem se identificar com qualquer gênero, mas que isso não poderia implicar em custos. Embora mais comedido do que Kennedy, o parlamentar do Novo também desrespeita a comunidade trans com seu comentário, ignorando o conceito mais básico acerca da transexualidade. A pessoa trans não “trocou de sexo”, mas passou a se identificar com a identidade de gênero que sempre teve e que é diferente do sexo biológico. Uma mulher trans pode ter alterado o registro civil aos 40 anos, por exemplo, mas já era uma mulher bem antes disso.

Papelão 2

Brandel Junior (Podemos) poderia enterrar de vez o projeto antivacina de Wilian Tonezi (Patriota), já que daria o voto de minerva na Comissão de Saúde. Estava com a faca e o queijo na mão, mas cortou o dedo e estragou a comida. Ou seja, votou a favor desta coisa horrorosa que tramita no parlamento joinvilense.

Parte do sucesso da vacinação está nas sanções que a sociedade decidiu aplicar a quem não se vacina. Por isso que a vacina é obrigatória para matricular crianças na escola e para viajar a alguns lugares. Sem a obrigatoriedade, epidemias, sequelas e mortes seriam muito mais comuns.

Restrições para não vacinados são uma importante ferramenta para inibir a circulação do vírus, consequentemente protegendo as pessoas. Avós, pais, irmãos, filhos… Quanta gente não daria tudo para ter a vacinação a tempo de salvar aqueles que perdemos?

Mas há quem decida fazer coro aos antivacina e suas voltas para justificar o injustificável. Quem faz isso, por mais que diga que é a favor da vacina, contribuiu com políticas antivacina e também se torna um deles.

Primeiras doses

A ação para a vacinação em família da prefeitura de Joinville, realizada no final de semana, lotou o Centreventos Cau Hansen e gerou um dado curioso. Foram aplicadas 95 primeiras doses em pessoas com mais de 12 anos. Ou seja, em pessoas que por algum motivo não quiseram se vacinar anteriormente, já que a vacinação está disponível há bastante tempo para este público. O fato mostra que podemos vencer a disputa com os antivacinas. O prêmio é uma vida mais saudável.

De segunda (21) a sexta-feira (25), a vacina contra a covid-19 continuará sendo aplicada na Central de Imunização do Centreventos Cau Hansen, por demanda espontânea (sem a necessidade de agendamento), das 7h30 às 16h30. O local é destinado para a população maior de 12 anos. A vacinação para crianças de 5 a 11 anos continua na Central de Imunização Infantil, instalada na UBSF Bucarein, mediante agendamento no site da prefeitura.

Conferência sem data

Um tema que está mexendo com a classe artística local é a data da conferência municipal de cultura. Um adiamento do encontro, previsto para 2022, tem causado discórdia. O tema será debatido na reunião do Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) desta segunda-feira, com início às 19h30 e transmissão pelo Youtube.

CDL faz doação

Após entregar todos os prêmios da Campanha Natal Premiado Solidário, a CDL Joinville vai doar R$ 9 mil para três instituições beneficentes da cidade. Nesta terça-feira (22), às 11 horas, representantes do Lar do Idoso Betânia, Lar Abdon Batista e Associação dos Deficientes Físicos de Joinville (ADEJ) estarão na sede da CDL para receber as doações de R$ 3 mil.

Antídio responde

Em resposta ao jornalista Upiara Boschi, o prefeito de Jaraguá do Sul e pré-candidato ao governo de SC pelo MDB, Antídio Lunelli, comentou a acusação de que teria se envolvido sexualmente com um menor de idade em 2009. Embora tenha tido que é “um assunto totalmente esclarecido judicialmente”, o que confirma a existência de um caso, ele alega não deve nada e que “não se trata de nada mais do que perseguição política, calúnia e difamação”. Durante a fala, ele disse que sabe de onde vem as acusações, chamando-as de “fogo amigo”.

Combate à corrupção

Os municípios de Joinville e Lages vão passar a sediar as Delegacias Especializadas no Combate à Corrupção (DECOR/PCSC) da Polícia Civil de Santa Catarina. A medida faz parte de uma remodelação da estrutura organizacional das delegacias especializadas pela Delegacia Geral da Polícia Civil, que editará e publicará resolução a respeito. Serão mantidas as cinco sedes pelo estado, com a adequação de duas delas.

A 3ª DECOR, da qual Joinville passa a ser sede, compreende as regiões de Canoinhas, Jaraguá do Sul, Joinville, São Francisco do Sul, Mafra, Porto União, São Bento do Sul, Balneário Camboriú, Brusque e Itajaí.

As DECORs e a Coordenadoria Estadual de Combate à Corrupção (CECOR/PCSC) foram criadas em novembro de 2019, por decreto do governador Carlos Moisés.