Com aumento de 89% de casos de covid-19, Rejane reativa gabinete de crise

Edição: Felipe Silveira
Foto: Prefeitura

Nesta quarta-feira (5), a prefeita em exercício Rejane Gambin reativou o Gabinete de Crise para direcionar as ações de enfrentamento da pandemia de covid-19 e o atendimento aos casos de influenza. Os dados da Secretaria da Saúde de Joinville apontam um crescimento superior a 70% na procura pelas Unidades de Pronto-Atendimento, considerando o mesmo período do mês passado.

“Joinville, assim como os demais municípios de Santa Catarina, está passando por um aumento importante no número de casos ativos de covid-19 e também de pessoas com sintomas gripais. Esses fatores motivaram a reativação do gabinete de crise”, explicou a prefeita.

O gabinete de crise foi criado em fevereiro de 2021 (foto no topo), no início do mandato de Adriano Silva, quando os casos de coronavírus começaram a aumentar de maneira exponencial, o que gerou uma grave crise com centenas de mortos nos meses seguintes. Liderado à época pelo prefeito, o gabinete era composto por cinco comitês estratégicos: Gestão Hospitalar, Ação e Fiscalização, Assistência Social, Gestão Econômica e Comitê Integrado de Operações. Em agosto do ano passado foi novamente reativado, sendo desativo após o pico de novos casos.

Além das UPAs, os demais pontos de atendimento, como hospitais públicos e privados e Unidades Básicas de Saúde da Família, também registraram um aumento significativo na busca por assistência médica. Nos últimos dias, o número de casos ativos da covid-19 avançou de forma expressiva. Em 4 de dezembro de 2021, 380 pessoas estavam com a doença em Joinville. Um mês depois, em 4 de janeiro de 2022, são 718 pessoas, um aumento de 89%.

“Estamos verificando a melhor estratégia para reorganizar nossa rede de atendimento para que todos que precisam possam receber a assistência necessária, seja com vacinação, testagem ou acompanhamento”, afirmou Rejane. A prefeitura realiza coletiva de imprensa nesta quarta-feira para divulgar mais detalhes das ações.