Ministro visita Joinville pela segunda vez, assina acordo para habitação, mas não entrega recursos

Texto: Felipe Silveira
Fotos: Prefeitura

Em cerimônia na sexta-feira (17), com a presença do ministro Rogério Marinho, a prefeitura de Joinville formalizou a intenção de aderir ao programa de habitação Casa Verde e Amarela – Parcerias, do Governo Federal. Com a medida, pretende apresentar projetos e viabilizar a construção de aproximadamente 1.200 casas no município.

Foi a segunda visita de Rogério Marinho a Joinville neste ano, mas novamente sem entrega de recursos ou anúncios de obras. A assinatura do Termo de Manifestação de Interesse é uma iniciativa importante do governo municipal, mas qualquer município pode fazer. É uma etapa fundamental para iniciar o programa habitacional.

Questionado sobre a falta de investimentos no estado, tema de um abaixo-assinado da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Marinho disse que só o seu ministério está investindo quase R$ 3 bilhões no estado. Porém, não explicitou quais são os investimentos. Em Joinville, não anunciou recursos.

Também cabe ressaltar que o programa não entrega casas à população mais vulnerável sendo apenas um programa de financiamento de residências com o valor reduzido a partir da contrapartida da prefeitura, que cede os terrenos. Por meio da iniciativa, pessoas com renda familiar de até R$ 4 mil poderão ter acesso ao programa que subsidia cerca de 20% do valor do imóvel e reduz (ou abate) o valor da entrada.

De acordo com o prefeito Adriano Silva, estudos preveem a construção das unidades habitacionais em diferentes regiões da cidade, integrando as pessoas ao município e evitando a formação de bolsões. “Já entregamos ao Ministério do Desenvolvimento Regional um programa habitacional que inclui vários terrenos do município. Um dos bairros contemplados é o Jardim Iririú, onde já existe infraestrutura”, relatou o prefeito.

O projeto no bairro da zona leste prevê cerca de 280 casas e a prefeitura não planeja construir apartamentos.

O termo foi assinado no Teatro Juarez Machado, com a presença do ministro, do prefeito e de outras autoridades, como a vice-prefeita Rejane Gambin, o secretário nacional de habitação, Alfredo dos Santos; o senador Jorginho Mello (PL); o deputado federal Coronel Armando (PSL); além de secretários municipais, vereadores e representantes de entidades.