Empresários cobram investimentos do governo federal em SC

Texto: Felipe Silveira
Foto: Filipe Scotti
/Fiesc

Informações: Fiesc

Majoritariamente e tradicionais apoiadores de Jair Bolsonaro, empresários ligados à Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e o Grupo ND lançaram na segunda-feira (29) um abaixo-assinado em que exigem — termo utilizado na divulgação do material — mais investimentos do governo federal no estado. A agenda sinaliza uma estremecida em um namoro que era firme, mas foi abalado pela falta de atenção do presidente.

“Santa Catarina convive com tragédias e prejuízos em função do estado precário das rodovias federais. Por isso, todos os catarinenses podem e devem participar do abaixo-assinado que estamos lançando hoje”, enfatizou o presidente da Fiesc, Mario Aguiar, que é de Joinville.

Estão na pauta do abaixo-assinado as obras de duplicação de rodovias estratégicas, que têm sido postergadas por anos; estradas em estado precário, que exigem restauração; e medidas para melhorar a segurança e eficiência dos corredores logísticos estratégicos.

“Sabemos que vários investimentos são necessários. Não podemos nos contentar apenas com as rodovias. SC é merecedora de um complexo ferroviário, para continuar a ser destaque nacional em termos de desenvolvimento e de qualidade de vida. Vamos mostrar a todos os parlamentares a nossa indignação com a falta de investimentos”, acrescentou. No próximo dia 6, a federação lança uma agenda da infraestrutura, demonstrando que o estado suporta e precisa de investimentos no modal ferroviário.

Participaram do ato na sede da Fiesc, em Florianópolis, lideranças empresariais, parlamentares, autoridades e representantes da sociedade civil. O governador Carlos Moisés estava presente e endossou a cobrança. Ele destacou que o estado vai investir, do próprio bolso, R$ 465 milhões nas rodovias federais, investiu R$ 1,7 bilhão na infraestrutura estadual e repassou R$ 3 bilhões em transferências voluntárias para os municípios. Os R$ 465 milhões em recursos estaduais são para acelerar os trabalhos nas BRs 470, 163, 280 e 285, projeto que teve aval da Assembleia Legislativa.

No encontro, até o senador governista Jorginho Mello (PL) cobrou Jair Bolsonaro. “O governo federal tem que olhar para Santa Catarina com mais respeito e valorização. Não podemos ser punidos por fazer o dever de casa. O que nós produzimos, pelo tamanho que nós temos em relação a outros estados, somos gigantes na produção, em todos os setores. Então, o governo federal nos deve”, disse o apoiador do presidente.

Prejuízos

De acordo com pesquisa da CNT, em conjunto com a PRF, Santa Catarina ocupou a segunda posição no ranking nacional de acidentes de trânsito em 2020. Entre 2011 e 2020 foram 134.222. Além da perda de vidas e sequelas, os custos com o sistema de saúde e danos materiais alcançaram o valor de R$ 18,6 bilhões — muito mais do que os investimentos necessários para manter uma razoável estrutura rodoviária.