Ato em memória às mais de 600 mil vítimas da Covid-19 é realizado no bairro Paranaguamirim

Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Divulgação

Um ato em memória às mais de 608 mil vítimas da covid-19 no Brasil foi realizado em Joinville na quarta-feira (3). A ação, realizada no bairro Paranaguamirim, reuniu um grupo de pessoas ligadas a movimentos sociais e à Igreja Católica. Com 600 velas, os manifestantes formaram na terra a palavra “vida”.

Nomes de parentes e amigos vítimas da covid-19 foram escritos em uma cruz montada no local, onde faixas também foram estendidas. “Jamais esqueceremos estas mortes e os responsáveis por esta tragédia”, dizia uma das frases expostas.

O grupo também apontou para a ausência de políticas públicas de assistência e de proteção da população durante a pandemia, tanto na saúde pública quanto na economia. As críticas eram voltadas especialmente ao governo federal e ao presidente Jair Bolsonaro, que atuou para proliferar o vírus ao invés de combatê-lo. Os manifestantes também responsabilizaram os governos estadual e municipal que não priorizaram a vida das pessoas ao não adotar medidas de controle da pandemia em Santa Catarina e em Joinville.

Realizado na mesma semana do Dia de Finados, data de homenagem aos mortos, o ato em memória às vítimas da covid-19 lembrou as mais de 608 mil vítimas no país, mas também destacou as mais de 19 mil mortes no estado e mais de 2 mil em Joinville, segundo dados do governo catarinense na quarta-feira.

O ato foi uma iniciativa do Comitê Popular Solidário de Joinville contra o Coronavírus, em parceria com o Centro de Estudos Bíblicos (CEBI), as pastorais sociais da Diocese de Joinville, a Paróquia São Miguel Arcanjo, do Paranaguamirim, e a seccional da Associação Nacional em Apoio e Defesa dos Direitos das Vítimas da Covid-19 — Vida e Justiça.