Bolsonarista radical é o único vereador que não tomou vacina contra covid-19 em Joinville

Texto: Felipe Silveira
Foto: Mauro Artur Schlieck/CVJ
Informações: CBN Joinville

Wilian Tonezi (Patriota) é o único vereador de Joinville que não tomou a vacina contra a covid-19. A informação é dos repórter Yan Pedro e Jean Patrick, da rádio CBN Joinville, ligada ao grupo NSC. Eles buscaram o nome do parlamentar na lista aberta de vacinados que a prefeitura divulga, conforme lei aprovada na Câmara de Vereadores no início deste ano.

Tonezi é um bolsonarista radical e propagador das ideias de extrema-direita do atual presidente brasileiro. Responsável direto pelo agravamento da pandemia no país, conforme mostra o relatório da CPI da Covid no Senado, Jair Bolsonaro atua contra a campanha de vacinação nacional e de ampla aceitação social, incentivando pessoas a questionar a eficácia das vacinas e optar por não tomá-las. Funcionou com os seguidores mais radicalizados, como o parlamentar joinvilense.

À CBN, Tonezi disse ser “apoiador da vacinação voluntária” e afirmou que “quem quiser se vacinar deve ter seu direito de acesso à vacina garantido”. Como a cultura vacinal brasileira é bastante sólida, este é o discurso que restou ao movimento anti-vacina, que tem mais efeito em outros lugares do planeta, como os Estados Unidos.

Ao contrário de Bolsonaro, a vacina é responsável pela queda dos números da pandemia neste ano. O auge da pandemia aconteceu na metade do primeiro semestre, quando foram registradas 4 mil mortes no dia 6 de abril. Naquele momento, com número limitado de doses, a maior parte da população ainda não havia se vacinado nem com a primeira dose. O país vivia apenas o início do processo de imunização, que já estava protegendo os idosos e profissionais de saúde, os primeiros vacinados.

Atualmente, o país tem 152 milhões de vacinados com a primeira dose, equivalente a 71,64% da população. Nesta semana, metade da população completou o esquema vacinal (com duas doses ou dose única). Neste momento há 108 milhões (51,02%) de imunizados. São números que derrubaram as mortes por covid-19. Foram 460 óbitos na sexta-feira (22). Os números estão em queda, mas os cuidados seguem necessários, em especial o uso de máscara e a distância de aglomerações, especialmente em locais fechados e pouco ventilados.

Gráfico do número de mortes pela pandemia de coronavírus no Brasil – Fonte: Johns Hopkins University

Na quinta-feira (21), o Brasil chegou a marca de 604 mil mortes em decorrência da covid-19. É o mesmo número de habitantes de Joinville, conforme a estimativa mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na sexta, chegou à marca de 605.211 vítimas da doença e da desinformação.

Campanha de vacinação em Joinville

Com o objetivo de dar andamento no processo de imunização contra a covid-19, a prefeitura de Joinville vai repetir a estratégia ampliada de vacinação neste final de semana (23 e 24), contemplando primeira e segunda dose, inclusive de pessoas que estão com a aplicação em atraso ou que podem antecipar, e também das doses de reforço. A primeira experiência, no último fim de semana, foi considerada um sucesso. Ao todo, foram aplicadas 4,7 mil doses de vacina contra a covid-19 na Central de Imunização do Centreventos.

Desta vez, segundas doses atrasadas ou a antecipação para oito semanas de quem tomou a vacina da Pfizer serão aplicadas em todos os pontos de atendimento, assim como a dose de reforço para pessoas com 60 anos ou mais, profissionais da saúde que concluíram a imunização há seis meses e pessoas imunocomprometidas que concluíram a vacinação há 28 dias. Diversas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) abrirão para o atendimento das segundas doses previamente agendadas. Confira os horários e locais.