BRDE autoriza financiamento de R$ 25,4 milhões para obras de esgoto na zona leste

Edição: Felipe Silveira
Foto: MDR

Informações: Prefeitura | MDR | Coronel Armando

O prefeito Adriano Silva e o diretor-presidente da Companhia Águas de Joinville, Giancarlo Schneider, assinaram nesta quinta-feira (14), em Brasília, uma portaria para liberação de crédito de R$ 25,4 milhões concedido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, via Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Ainda não informações sobre a forma de pagamento, já que o crédito foi liberado, mas o contrato ainda não foi assinado.

O recurso será destinado para a segunda etapa das obras de esgotamento sanitário na Bacia 10, no bairro Boa Vista, que incluem a implantação de 44,7 quilômetros de rede coletora, 3,3 mil novas ligações de esgoto, duas estações elevatórias e 1,5 quilômetro de linha de recalque. A previsão é que as obras tenham início em 2022. O projeto prevê, ainda, contrapartida de R$ 1,4 milhão do município.

O projeto da Águas de Joinville foi selecionado pelo Ministério de Desenvolvimento Regional entre outros projetos de municípios de todo o país. Quando a obra da Bacia 10 estiver concluída e o sistema em operação, a nova rede atenderá cerca de 5 mil moradores da região do Boa Vista.

A Águas de Joinville também elaborou planejamento técnico-financeiro para obras de saneamento em outras regiões da cidade e pleiteou recursos junto à Caixa Econômica, Banco do Brasil, BNDES, BID e Agência Francesa de Desenvolvimento, esta última já em fase final de negociações.

“A captação de recursos com o BRDE, e também outros bancos e agências de financiamento, tem como objetivo primordial a universalização da cobertura de esgoto em Joinville. A meta é alcançar 90% de cobertura até 2033”, explicou o presidente Águas de Joinville, Giancarlo Schneider.

A primeira etapa das obras de esgoto na Bacia 10 teve início em 2019, nas ruas Albano Schmidt e Helmuth Fallgatter, totalizando mais de 20 km de rede coletora e implantação de duas estações elevatórias. Nas obras foi empregado o Método Não-Destrutivo (MND) em diversos trechos com maior declividade, evitando os desafios referentes às escavações, recomposição de pavimentos e interdições de trânsito.

Jaraguá do Sul

O município de Jaraguá do Sul teve projetos autorizados no programa Avançar Cidades, do Ministério do Desenvolvimento Regional. A prefeitura vai poder financiar cerca de R$ 15,6 milhões em recursos do FGTS para a pavimentação de 36 vias públicas em diversos bairros da cidade.

Intermediador?

Em material enviado à imprensa, o deputado federal Coronel Armando (PSL) se apresentou como intermediador do acordo entre as prefeituras da região norte e o ministério. Ele sugeriu que a sua fidelidade ao governo de Jair Bolsonaro abriu portas no ministério. No entanto, os materiais dos dois órgãos não mencionam o parlamentar. Ao contrário, citam que se trata de um programa técnico do MDR.