Prefeitura lança campanha de prevenção à violência contra mulher

Joinville registra, em média, dois casos de violência contra a mulher por dia. E os casos, segundo especialistas da área, são subnotificados por causa das dificuldades de denunciar e a falta de suporte às vítimas. Com o objetivo de chamar a atenção para este assunto, a prefeitura lançou a campanha “Use sua voz”. Além do material gráfico e em vídeo, que estão sendo veiculados nos meios de comunicação da cidade, distribuídos em vários pontos como unidades de saúde e de ensino, e publicados nas redes sociais, a campanha conta também com ações como debates e palestras.

“Precisamos falar sobre este tipo de violência, pois ela está muito perto de todos nós. Só em Joinville, no ano passado, foram 800 denúncias. Falar é também conscientizar sobre a importância de apoiarmos as vítimas para que possam reconstruir suas vidas”, disse a vice-prefeita de Joinville, Rejane Gambin, que atuou na construção da campanha.

Além dela, participaram a secretária de assistência social, Fabiana Ramos da Cruz; as vereadoras Ana Lúcia Martins (PT) e Tânia Larson (PSL); a delegada regional Tânia Harada; e a presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres, Simone do Nascimento Silva.

Além da agressão física, como tapas, mordidas ou beliscões, a violência contra mulher pode ser também sexual, patrimonial ou virtual, por exemplo. Já frases como “Você não serve para nada”, “Não pode sair sem mim”, “Não pode trabalhar” ou “Vou acabar com a sua família” são consideradas violência psicológica ou moral.

Para detalhar o tema, será realizada uma roda de conversa sobre a violência contra a mulher e as ações para o acolhimento das vítimas no canal oficial da prefeitura de Joinville no YouTube, ainda no mês de agosto. Além disso, na página da Rede Intersetorial de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher, no Facebook, ocorre um ciclo de palestras com discussões sobre o tema todas as quartas-feiras de agosto.

O site da prefeitura conta com uma página especial na qual há informações sobre os direitos das mulheres. Lá, é possível fazer o download de um cartaz que estimula a denúncia de casos, além de uma cartilha com informações sobre atendimento e tipos de violência contra a mulher.

“Não é possível fechar os olhos diante das atrocidades contra a mulher, é preciso dizer basta, é preciso denunciar”, afirmou Simone do Nascimento Silva, presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de Joinville.

Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Prefeitura