Vereadores pedem recriação da Secretaria de Agricultura

Moção assinada por todos os vereadores e aprovada na sessão ordinária de terça-feira (9) apela à prefeitura para que a Unidade de Desenvolvimento Rural (UDR) retorne ao “status” de Secretaria Municipal de Agricultura, com gestão desvinculada da Secretaria do Meio Ambiente. A sugestão foi proposta pelo vereador Diego Machado (PSDB) e pede atenção do executivo ao tema quando o prefeito Adriano Silva encaminhar à câmara a reforma administrativa.

Atualmente, as políticas públicas para o setor rural estão vinculadas à Unidade de Desenvolvimento Rural (UDR) da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama). A junção foi feita durante reforma administrativa do governo de Udo Döhler, em 2017. Antes disso, o setor rural era administrado no âmbito da Fundação 25 de Julho.

Segundo Machado, o agricultor está desmotivado com a situação da UDR, que precisa de uma reestruturação urgente. “A agricultura ao longo de anos foi rebaixada a terceiro escalão e ela precisa de valorização”. O parlamentar acrescenta que a verba para o setor agrícola é de apenas R$ 500 mil para o ano de 2021.

O vereador Sidney Sabel (DEM) afirma que é necessário dar resposta ao setor agrícola criando uma secretaria. “Precisamos dar o status de Secretaria 25 de Julho para que os projetos sejam colocados em prática. Se continuar como gerência o setor irá continuar em decadência”, disse Sabel.

Por sua vez, a vereadora Tânia Larson (PSL) relembrou que votou contra a reforma administrativa na gestão passada, quando a agricultura entrou para a pasta da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (SAMA) e foi prometido o valor de R$ 3 milhões para o setor.

No texto da moção 293/2021, de autoria de Machado, ele argumenta que o setor recebeu pouco ou nenhum estímulo do poder público nos últimos anos, o que vem ocasionando a fragmentação de programas e projetos da antiga Fundação Municipal 25 de Julho.

Machado ainda destaca que voltar a ter uma secretaria exclusiva para a agricultura é uma “demonstração de valorização ao setor primário e às milhares de famílias que dela sobrevivem, fomentando o desenvolvimento econômico de nossa cidade”.

Atualmente, Joinville tem cerca de 17 mil famílias vivendo na região rural, e mais de 3 mil famílias que dependem exclusivamente da agricultura familiar.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Mauro Artur Schlieck/CVJ
Informações: Divisão de Jornalismo da CVJ