Deputados atendem pedido de Moisés e estado vai investir em obras federais

Por maioria de votos, os deputados derrubaram, na sessão ordinária desta terça-feira (1), os vetos aos dois projetos de lei que viabilizam a liberação de recursos do estado para obras em rodovias federais. O veto havia sido feito por Daniela Reinehr, durante o governo interino. Com a decisão, os PL 64/2021 e 65/2021 serão transformados em lei, o que possibilitará a transferência do dinheiro para as obras.

O PL 64/2021 cria uma subação no Plano Plurianual (PPA) 2020-2023, no valor de R$ 800 milhões, destinando recursos do orçamento estadual para obras federais em Santa Catarina. Já o PL 65/2021 abre o crédito suplementar de R$ 350 milhões, sendo R$ 200 milhões para a BR-470, R$ 100 milhões para a BR-163 e mais R$ 50 milhões para a duplicação da BR-280, entre Joinville e São Francisco do Sul.

Os dois projetos haviam sido aprovados pelos deputados no começo de abril, mas vetados pela então governadora. Quando retornou ao comando do estado, após a conclusão do processo de impeachment dos respiradores, o governador Carlos Moisés, já em maio, pediu aos deputados a derrubada dos vetos.

As discussões sobre os projetos dominaram boa parte da sessão de terça. Ao todo, 18 deputados se manifestaram sobre as matérias. Embora tenham votado pela rejeição dos vetos, todos fizeram ponderações sobre o uso de recursos dos cofres do estado em obras que deveriam ser financiadas pela União.

Milton Hobus (PSD) parabenizou o governador pela liberação do dinheiro e criticou as gestões federais que prometeram duplicar a BR-470, mas não o fizeram. “O dinheiro sempre vem a conta-gotas”, comentou. “São rodovias que tiram vidas e impedem o nosso crescimento. Temos que cobrar do governo federal o retorno desse recurso na forma de muitas obras que compensem o estado.”

Para Fabiano da Luz (PT), a necessidade do estado investir em obras federais é “atestado da incompetência do governo federal, descaso da presidência da república com Santa Catarina”. Para o deputado, “temos que salvar as obras federais do nosso estado para que a gente não perca mais vidas em função da incompetência do governo federal, já que o cidadão não quer saber de onde vem o dinheiro, quer ver a obra concluída.”

Fernando Krelling (MDB) criticou o corte no orçamento da União para as obras federais no estado. “E continuamos batendo palma”, ironizou. “Temos que chamar a atenção do governo federal, que vai reduzir recursos que vão fomentar a economia de Santa Catarina.”


Edição: Felipe Silveira
Foto: Rodolfo Espinola/Alesc
Informações: Alesc