Joinville gera mais de 1% do emprego formal do país no primeiro trimestre

Em janeiro, fevereiro e março de 2021, Joinville registrou 8.531 novos postos de trabalho. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na quarta-feira pelo Ministério da Economia. O número de empregos gerados em Joinville é superior a 1% de todos os empregos gerados no país no mesmo período: 837.074.

Em março, a cidade gerou 3.623 novos postos de trabalho. Líder no ranking estadual, foi a sétima que mais criou oportunidades no país. Já os meses de janeiro e fevereiro somaram 4.908 novas vagas ocupadas. O número é quase cinco vezes maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando foi registrado o saldo de 1.056 empregos.

Mudanças no Caged

Tratados como marcas históricas, os novos dados de emprego no Brasil podem estar relacionados às mudanças na metodologia do Caged. Entre elas, a inclusão de bolsistas e o registro obrigatório de temporários, algo que era opcional às empresas. Mais sobre o tema pode ser lido nesta reportagem da BBC.

Números de SC

Santa Catarina registrou uma ampliação de 86,8 mil postos formais de trabalho no primeiro trimestre de 2021. O estado abriu 20.729 vagas formais de trabalho em março, resultado de 125.425 admissões e 104.696 demissões. Esse é o terceiro melhor desempenho do país em volume de carteiras assinadas, atrás apenas de São Paulo (+50.940) e Minas Gerais (+35.592).

No primeiro trimestre deste ano, SC ampliou em 4,03% o estoque de trabalhadores com carteira assinada, o maior crescimento relativo dentre as unidades da federação e bem acima da média nacional, cuja expansão foi de 2,13%. Depois de Joinville, os municípios que registraram os maiores saldos de emprego em março foram Blumenau (1.870) e São José (1.429).

Cepat

Vinculado à Secretaria de Assistência Social (SAS), o Centro de Atendimento Público ao Trabalhador (Cepat) é responsável por fomentar a empregabilidade, priorizando a inclusão do cidadão. No primeiro trimestre deste ano, em parceria com o Sistema Nacional de Empregos (Sine) Joinville, foram realizados 8.665 atendimentos na unidade.

De acordo a secretaria de assistência social de Joinville, Fabiana Cardozo, a prefeitura tem a importante competência de promover a emancipação dos usuários da SAS, por meio de qualificação e encaminhamento para o mercado de trabalho. “Para tanto, se faz necessário pensar o indivíduo em sua integralidade e na garantia de acessos aos seus direitos fundamentais”, completa secretária de

A secretaria desenvolve diversas ações para fomentar a geração de emprego e renda no município. Uma delas é a Join.Cubo, incubadora pública que oferece capacitações a quem deseja empreender ou aos empreendedores que já possuem negócios estruturados. A incubação envolve temas como marketing, processos de qualidade, técnicas de venda, formalização do negócio, precificação de produtos e serviços, entre outros.

Em outra iniciativa, a secretaria busca parceria com entidades para a viabilização de oficinas direcionadas à população de rua. Há, ainda, o planejamento de ações para o atendimento a imigrantes e deficientes, com o intuito de aumentar a empregabilidade.


Texto: Felipe Silveira (siga no Twitter)
Foto: Prefeitura
Informações: Prefeitura | Governo de SC | Caged | BBC