Menosprezando pandemia, governo de SC libera mais atividades esportivas

O coronavírus é transmitido principalmente pelo ar, quando uma pessoa respira o ar que outra, já infectada, expirou (soltou). Por isso que em aglomerações e em locais fechados a possibilidade de se contaminar é maior. Em ambientes como bares, restaurantes, pistas de dança e shows, as pessoas acabam respirando o mesmo ar que outras já expiraram com mais frequência. A mesma situação é observada na prática esportiva coletiva, já que atletas acabam respirando o ar que outros expiraram no mesmo ambiente.

Cedendo a pressões ideológicas e anticientíficas, o governo catarinense liberou mais atividades esportivas nesta semana, ampliando as possibilidades de contágio da população. As novas regras valem para modalidades de alto rendimento (esporte profissional), esporte educacional e práticas esportivas de lazer. Aquela famosa pelada com os amigos.

O novo documento foi construído de maneira conjunta entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Federação Catarinense de Esporte (Fesporte). A portaria 441 altera o texto da portaria 386, permitindo o retorno imediato das atividades.

Em coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (28), os detalhes do documento foram abordados pelo superintendente de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, e pelo presidente da Fesporte, Kelvin Soares. Segundo o dirigente esportivo, o desenvolvimento desse documento se deu ao longo de três meses de trabalho, tendo como um dos principais ganhos a classificação entre os esportes indoor e outdoor.

As novas regras estabelecem uma série de medidas, como aferição de temperatura e higienização de ambientes. Porém, a principal mudança é o condicionamento das práticas à matriz de risco do governo. Quase tudo está liberado, mas em regiões classificadas como gravíssimas, por exemplo, as atividades indoor são limitadas.

“Vemos esse trabalho de forma extremamente positiva, conseguimos construir um diálogo. Nos baseamos em protocolos já existentes e construímos um documento único para Santa Catarina. Mas entendemos que temos ainda a questão do inverno, em razão disso nosso calendário será condensado a partir de agosto em quatro meses”, disse Kelvin.

Macário complementou que não se trata de uma liberação ampla e irrestrita das práticas. “É importante que todos saibam que temos uma grande preocupação com os meses de inverno que estão por vir. Estamos vivendo um momento de melhora nos números da pandemia, mas para que sigamos dessa forma é importante que os regramentos sejam cumpridos”, destacou.

Santa Catarina já registrou 878.215 casos de infecção pelo novo coronavírus. O dado foi divulgado na terça-feira (27), quando o estado chegou à marca de 13.301 mortes pela doença. A taxa de letalidade é de 1,5%.


Texto: Felipe Silveira (siga no Twitter)
Foto: Antônio Prado/Fesporte
Informações: Governo de SC