Com vitória sobre o PSB no TSE, Rodrigo Coelho anuncia filiação ao Podemos

O deputado federal Rodrigo Coelho (SC) anunciou nesta quarta-feira (28) que se filiará ao Podemos. A troca de partido ocorre após liberação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em sessão no último dia 13 de abril, que permitiu a saída do PSB sem a perda do mandato.

Receba notícias pelo Whatsapp

“A minha missão política não mudará. Vou continuar com os mesmos princípios que me levaram à vida pública, com transparência e muito trabalho. O que vai mudar, a partir de agora, é a liberdade que terei para colocar minhas ideias e decisões. Seguirei agindo de acordo com minha consciência e na defesa dos cidadãos, como sempre foi”, disse o joinvilense.

Rodrigo Coelho, que sempre apoiou a operação Lava-jato a frequentemente demonstra apoio a Jair Bolsonaro, sempre esteve mais à direita, apesar de ter história em dois partidos de centro-esquerda.

Foi eleito vice-prefeito de Joinville em 2012 pelo PDT (em chapa com o MDB de Udo Döhler, ainda PMDB à época. Foi expulso da sigla em 2014, acusado de infidelidade partidária. Em 2016, quando foi eleito vereador, já estava no PSB.

A trajetória de Coelho no Partido Socialista Brasileiro tem a ver com uma história bem maior do que a mera afinidade com uma sigla. O PSB é um partido com história de esquerda, mas que estava, no início da década passada, sob comando do pernambucano Eduardo Campos, que tinha o objetivo de chegar à presidência. Um dos passos do projeto de Campos foi filiar Paulinho Bornhausen em Santa Catarina, que trabalharia no desenvolvimento da sigla no estado. Rodrigo Coelho entrou nesta levada.

Com a morte precoce de Eduardo Campos em plena campanha presidencial de 2014, o partido perdeu o rumo, mas voltou a se encontrar mais à esquerda nos últimos anos. Por isso, em 2019, definiu que seus parlamentares deveriam votar contra a reforma da previdência. A ordem foi ignorada por Coelho, que foi suspenso de diversas funções parlamentares, fato que culminou na decisão judicial de terça-feira.

Rodrigo Coelho era um dos favoritos à Prefeitura de Joinville em 2018, mas a situação partidária o impediu de concorrer. Ele apoiou Darci de Matos (PSD) e o PSB, sob ordem da direção nacional, apoiou Fernando Krelling (MDB), tido como o principal adversário do candidato apoiado por Coelho à época. Adriano Silva (Novo) venceu a eleição.

Situação dos partidos

Em 2020, o Podemos concorreu à Prefeitura de Joinville com o empresário Ivandro de Souza. Ficou em quinto lugar, com 15.195 votos (5,75%) Com a chegada de Coelho, a sigla passa a ter um dos políticos mais relevantes do estado. Também tem um vereador na câmara municipal. Brandel Júnior foi eleito com 2.293 votos.

O PSB de Joinville também está em processo fortalecimento e para isso conta com a liderança do ex-vice-prefeito Rodrigo Bornholdt. O ex-pededista que concorreu duas vezes à prefeitura se filiou ao PSB em 2020, mas já não dava tempo para disputar a eleição.