Sinsej entra com ação judicial pela suspensão das aulas presenciais em Joinville

Nesta terça-feira (16), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej) protocolou ação na Justiça reivindicando a suspensão das aulas presenciais em Joinville. A ação tramita na Segunda Vara da Fazenda Pública com pedido de tutela de urgência.

O sindicato argumenta que com a suspensão das aulas presenciais mais de 73 mil pessoas, entre alunos e trabalhadores na rede municipal de educação, deixariam de circular nas ruas. A cidade soma mais de 67 mil casos da doença, desde março passado, e acumula mais de 800 mortes.

Para o Sinsej, é necessário que o governo tome atitudes eficientes, que salve vidas e mantenha o máximo de pessoas fora de circulação. O sindicato alega que não é contrário às aulas, mas sim contra as aulas presenciais principalmente neste momento em que o índice de transmissão continua maior que 1 no estado e que o município não assegura a testagem em massa e nem condições seguras para os trabalhadores e comunidade escolar.


Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Sinsej