Comissão de Urbanismo discute projetos sobre hortas comunitárias

Na quinta-feira (25), a Comissão de Urbanismo da CVJ ouviu coordenadores de hortas comunitárias sobre projeto que regulariza e incentiva o cultivo de alimentos orgânicos em terrenos baldios do município. Além de propiciar alimentos para consumo de famílias de baixa renda e qualificar espaços da cidade, as duas propostas em tramitação têm a intenção de ocupar o espaços e evitar usos indesejados.

Joinville tem cerca de mil imóveis ociosos, segundo o vereador Adilson Girardi (MDB), autor do Projeto de Lei 26/2017, que tramita anexado ao projeto de lei “Plante Bem”, do ex-vereador Rodrigo Fachini (PSDB), de teor semelhante (PL 161/2016).

Caso seja aprovada a permissão de terrenos para o programa,  participantes terão que apresentar planos de plantio e manejo e de reaproveitamento dos resíduos orgânicos.

No encontro, responsáveis por hortas comunitárias relataram falta de recursos das comunidades para o cultivo e de assistência técnica, e sugeriram que isso seja custeado pelo programa proposto pelos parlamentares.

De acordo com o gerente da Unidade de Desenvolvimento Rural (UDR) da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente (Sama), Luiz Carlos Moreira da Maia, o órgão, que está sendo reestruturado, desenvolve programa de apoio a hortas urbanas.

“Eu acho que é importante o apoio técnico e social, de mobilização, e nós temos pessoas que podem trabalhar esses dois vieses”, justificou.

Para Thiago de Oliveira, que coordena a Horta Sabor da Terra, no bairro Adhemar Garcia, é preciso tornar a proposta menos burocrática, possibilitando que pessoas físicas, e não somente jurídicas, possam ser responsáveis pelas hortas. “A exigência de uma entidade organizada se torna um obstáculo para os interessados em ingressar no programa”, advertiu Oliveira.


Edição: Felipe Silveira
Fotos: Mauro Artur Schlieck/CVJ
Informações: Divisão de Jornalismo da CVJ