Em colapso, SC decreta medidas discretas contra o coronavírus

Com o sistema de saúde colapsado pela covid-19, o governo de Santa Catarina anunciou, na quarta-feira (24), novas medidas de enfrentamento à doença. As medidas, contudo, são discretas na comparação com o tamanho da tragédia que o estado vive. A restrição de circulação, por exemplo, foi imposta entre meia-noite e 6 horas — horário em que a circulação de pessoas já é mínima.

Receba notícias pelo Whatsapp

A afirmação de que o estado está entrando em colapso é o secretário de saúde de SC, André Motta Ribeiro. Ele mandou mensagem aos secretários municipais nesta quinta-feira, pedindo colaboração para restringir a circulação de pessoas, e a informação foi divulgada pelo jornalista Renato Igor, do grupo NSC.

Neste momento, SC tem mais de 30 mil pessoas sendo acompanhadas com a doença e números crescentes a cada dia. Na quarta-feira (24), subiu em 1.281 o número de casos ativos e houve 70 óbitos adicionais registrados. A covid-19 causou 7.114 óbitos no estado desde o início da pandemia.

Os novos protocolos de saúde (leia o decreto), segundo o governo, têm o objetivo de desacelerar a curva de contágio da doença em um momento de alta taxa de ocupação dos leitos clínicos e de UTI no Estado. As medidas entraram em vigor nesta quinta-feira (25) e valem por 15 dias.

Entre os motivos técnicos que embasam o decreto, observa-se a necessidade de redução no número de casos ativos, promovidos por meio do reforço nas medidas de prevenção, como uso de máscaras, higienização das mãos, ambientes seguros e arejados e, principalmente, reforço nas medidas de distanciamento social, evitando aglomerações que podem dispersar rapidamente o vírus na comunidade. Além disso, o governo anunciou nessa semana reforço na fiscalização e quase R$ 1 bilhão em recursos para medidas de enfrentamento à covid-19.

“O momento exige, novamente, a adoção de medidas de prevenção e a conscientização de cada cidadão para controlarmos o avanço da doença”, disse o secretário de saúde, André Motta Ribeiro.

Entre as medidas, está a proibição, por 15 dias, das atividades em casas noturnas e casas de espetáculos. Também está limitada a venda e consumo de bebidas alcoólicas em postos de combustíveis e suas lojas de conveniência entre meia-noite e 6 horas As duas medidas valem em todos os níveis de risco.

As aulas da rede pública estadual e o funcionamento do ensino presencial estão mantidos em todo o estado, conforme regulamentação em vigor. No transporte coletivo municipal, intermunicipal e interestadual, a limitação da ocupação dos ônibus é de 50% de passageiros sentados, em todos os níveis de risco.

As medidas também contemplam a redução do limite de funcionamento para 25% de ocupação, em todos os níveis de risco, das atividades de parques temáticos e zoológicos, cinemas e teatros, circos e museus e igrejas e templos religiosos.

Ainda há modificação nos limites de ocupação e horários para eventos sociais, bares e estabelecimentos comerciais como restaurantes, shoppings centers e academias. Confira a lista completa de medidas abaixo.

Vale destacar que os municípios do Estado poderão estabelecer medidas específicas de enfrentamento mais restritivas do que as previstas no Decreto, a fim de conter a contaminação e a propagação do Covid-19 em seus territórios. O documento publicado nesta quarta-feira (24) ainda estende o decreto de calamidade pública para enfrentamento da pandemia de covid-19 até o dia 30 de junho de 2021, em todo o território catarinense.

A Secretaria de Estado da Saúde irá regulamentar as medidas em protocolos e regramentos sanitários específicos. O decreto estabelece que a fiscalização do cumprimento das medidas ficará a cargo da Polícia Militar e da Polícia Civil de Santa Catarina.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Maurício Vieira/Governo de SC
Informações: Governo de SC