Prefeitura cria gabinete de crise, mas não amplia restrições

Em coletiva de imprensa realizada na tarde terça-feira (23), a Prefeitura de Joinville anunciou a criação de um gabinete de crise para tomar decisões relativas ao enfrentamento da pandemia de coronavírus. No entanto, apesar do agravamento da situação sanitária na cidade e no estado, não foram anunciadas novas restrições. No mesmo dia, o prefeito Adriano Silva assinou decreto que prorroga as medidas já vigentes.

Receba notícias pelo Whatsapp

“O momento exige atenção e cautela. Nós trabalhamos com muita responsabilidade na gestão da pandemia de covid-19. Por isso, o pedido é que a população respeite as medidas de enfrentamento à doença, principalmente evitando aglomerações, utilizando máscara e fazendo a higienização correta das mãos”, disse Adriano, que prometeu intensificar a fiscalização para garantir que as medidas sejam efetivamente cumpridas.

O gabinete é liderado pelo prefeito e composto por cinco comitês estratégicos: Gestão Hospitalar, Ação e Fiscalização, Assistência Social, Gestão Econômica e Comitê Integrado de Operações. Cada comitê é liderado por um secretário municipal (veja a composição abaixo).

O principal objetivo do gabinete, segundo a Prefeitura, é garantir respostas adequadas e rápidas a partir do monitoramento da evolução dos casos, da ocupação dos leitos nas redes pública e privada, e da capacidade de atendimento na rede hospitalar. Além da implantação do gabinete de crise, a Prefeitura divulgou medidas relacionadas à pandemia.

Estão suspensas as cirurgias eletivas de alta e média complexidade em todos os hospitais de Joinville, conforme as recomendações do governo do estado. Cirurgias de urgência e emergência, além dos procedimentos considerados “tempo-sensíveis”, que são aqueles em que a vida do paciente pode estar em risco, serão realizados.

O município também pretende aumentar a agilidade dos resultados da testagem, realizando testes antígenos para diagnóstico. Para este exame, é realizada a coleta de material nas narinas para detectar a presença de uma proteína do vírus SARS-CoV-2. O resultado positivo indica que o paciente está com a doença naquele momento e precisa ser isolado. O resultado é liberado em aproximadamente uma hora.

O município também articula uma parceria com a Universidade da Região de Joinville (Univille) para que o mapeamento genético do vírus seja realizado na cidade. O objetivo é monitorar com mais agilidade a circulação do vírus em território joinvilense.

Decreto apenas prorroga medidas

O decreto 41.228, publicado pela Prefeitura de Joinville na terça-feira (23), prorrogou por mais sete dias as medidas que já vinham sendo adotadas para conter o avanço da pandemia de covid-19.

Shoppings, igrejas, templos, academias, supermercados, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais têm limite de ocupação de 30%. Casas noturnas, boates, pubs e casas de shows continuam com as atividades suspensas. Já os eventos, atividades esportivas e de recreação devem seguir normas sanitárias estaduais.

Gabinete de crise

Gabinete de crise
Responsável: Adriano Silva
(prefeito de Joinville)

Comitê de Gestão Hospitalar
Responsável: Jean Rodrigues da Silva
(secretário de Saúde)

Comitê de Ação e Fiscalização
Responsável: Paulo Rogério Rigo
(secretário de Proteção Civil e Segurança Pública)

Comitê de Gestão Econômica
Responsável: Marcel Virmond Vieira
(secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável)

Comitê de Assistência Social
Responsável: Fabiana Cardozo
(secretária de Assistência Social)

Comitê Integrado de Operações
Responsável: Gilberto Leal
(secretário de Governo)

Governo de SC anuncia medidas

No meio de uma tragédia em franca expansão, o governo de Santa Catarina também anunciou novas medidas. Segundo o governador Carlos Moisés, um efetivo de 500 policiais militares atuará, exclusivamente, na fiscalização de atividades que estejam descumprindo os protocolos sanitários de prevenção ao novo coronavírus.

Um toque de recolher entre meia-noite e 6 horas foi divulgado pelo prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, mas ainda não foi confirmado pelo governo estadual. Novas medidas estão sendo debatidas com gestores municipais e serão publicadas em decreto.

O aumento da fiscalização para combater aglomerações e festas clandestinas foi citado como uma das frentes de atuação mais importantes no atual cenário da pandemia no estado. A fiscalização deve ser feita pelo efetivo anunciado por Moisés. Os 500 policiais estavam atuando na temporada de verão 2020/2021 e fazem parte dos mil aprovados no concurso de 2019.

O governador ainda confirmou que o estado dispõe de R$ 600 milhões para ativação de leitos de UTI na rede privada, R$ 300 milhões para aquisição de vacinas.


Texto: Felipe Silveira
Foto: Prefeitura
Informações: Prefeitura | Governo de SC