Schirlene Chegatti é a primeira mulher indicada ao alto escalão de Adriano Silva

Pasta responsável pela liberação de obras em Joinville e bastante criticada no governo de Udo Döhler, a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama) será comandada por Schirlene Chegatti, química que se notabilizou em Joinville pela defesa do uso de areia de fundição. É a primeira mulher indicada ao alto escalão do governo de Adriano Silva. O anúncio, que foi o terceiro da lista, ocorreu na tarde de terça-feira (15).

Receba notícias pelo Whatsapp

Chegatti é graduada em química industrial, pela Univille, e tem mestrado e doutorado em engenharia ambiental, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Trabalhou na empresa Schulz, com atuação em licenciamento ambiental, gerenciamento ambiental, indicadores ambientais, auditoria, gerenciamento de risco, gerenciamento de resíduos sólidos e desenvolvimento de tecnologias para valorização de resíduos.

Participa do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Joinville, do Conselho Estadual de Meio Ambiente, do Núcleo de Meio Ambiente da Associação Empresarial de Joinville (Acij). Também integra a Câmara de Qualidade Ambiental da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), onde atua com aspectos técnicos da legislação ambiental local, estadual e federal.

Em 2016, lançou o livro “Areias descartadas de fundição – contexto, gerenciamento e impacto”, tema que estuda há décadas. Na época, disse que a areia descartada de fundição não pode ser considerada perigosa ou tóxica. Também atuou como coordenadora da Comissão Especial de Resíduos da ABNT/CB-59 da Associação Brasileira de Fundições (Abifa). O descarte da areia de fundição é um dos maiores custos das empresas do setor, já que precisa ser feito em aterros sanitários adequados devido a toxidade do material.

Schirlene Chegatti disse que vai trabalhar para aumentar a eficiência da máquina pública. “Vamos trabalhar para aumentar a autonomia do município prevista na lei de gestão de impacto de uso e ocupação de solo, revendo os entraves burocráticos que impedem os investimentos no município de modo sustentável, valorizando a competência dos servidores”, disse a indicada, de acordo com o material enviado pela assessoria de imprensa.


Texto: Felipe Silveira
Foto: Acij