Thiago Boeing será secretário de comunicação de Adriano Silva

O jornalista Thiago Boeing foi o escolhido de Adriano Silva para assumir a Secretaria de Comunicação (Secom). Atual coordenador de comunicação e marketing do Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, Thiago é especialista em comunicação estratégica e em mídias sociais. Já trabalhou na Secom, como gerente de relações públicas do governo Carlito Merss, em 2010.

Receba notícias pelo Whatsapp

Boeing foi responsável pelo cerimonial do Festival de Dança de Joinville nos últimos 14 anos. Nesse período, a vice-prefeita eleita, Rejane Gambin, também atuou na equipe do cerimonial do festival joinvilense. Os dois são grandes amigos. Segundo a assessoria de imprensa do governo eleito, Boeing foi selecionado no processo seletivo do partido.

O escolhido é graduado em jornalismo pela Univali e tem duas pós-graduações. Uma em comunicação estratégica, pela PUC-PR, e outra em mídias digitais, pela ESPM (SP). O secretário indicado afirma que vai trabalhar em melhorias na disseminação de informações, abrangendo os mais diferentes públicos.

“Nosso papel será interagir com a sociedade nas multiplataformas e permitir que a população acompanhe os projetos, inovações e a implantação do plano de governo. Estou motivado para contribuir com as mudanças propostas por esse governo”, comentou o novo secretário de comunicação.

Seletivo

Thiago Boeing é o segundo nome anunciado por Adriano Silva. O primeiro foi o de Gilberto Leal, que assumirá a Secretaria de Governo. Leal, que foi um dos coordenadores da candidatura de Adriano Silva, obteve as melhores notas no seletivo, segundo a assessoria.

Dos 1.451 inscritos para o cargo de secretário, Leal e Boeing foram dois dos 444 selecionados para a fase de testes. No total, o Novo recebeu 8.585 currículos para o alto escalão do governo. Nesta primeira fase do seletivo serão escolhidos secretários, diretores executivos e gerentes.

Divulgado durante a campanha eleitoral como um processo estritamente técnico, o processo seletivo do Novo foi executado com critérios políticos. “Conhecimento e alinhamento com o projeto de governo apresentado na campanha” foram itens descritos no edital como fundamental para concorrer às vagas.


Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Divulgação