Primeiro escolhido de Adriano Silva era coordenador na campanha do Novo

A matéria foi atualizada às 10h10 de terça-feira com informações do tipo de doação feita por Gilberto Leal à campanha de Adriano Silva.


De acordo com a prestação de contas de Adriano Silva ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilberto Leal, o primeiro indicado para o novo governo, doou R$ 2,6 mil (valor estimado por uso de veículo próprio na campanha) e recebeu R$ 6 mil do prefeito eleito à Prefeitura de Joinville. Leal era um dos coordenadores da candidatura do Novo e atua na equipe de transição de governo como indicado de Adriano.

Receba notícias pelo Whatsapp

Logo que o nome de Gilberto Leal foi anunciado para a Secretaria de Governo, na segunda-feira (14), circulou nas redes sociais que ele doou e recebeu dinheiro da campanha. Questionada pela reportagem de O Mirante, a assessoria de imprensa de Adriano Silva informou que o valor que aparece como doação não foi em dinheiro, mas sim o valor estimado do uso de veículo próprio durante a campanha. De acordo com as regras do TSE, esse tipo de uso deve constar como doação.

No material enviado pela assessoria para divulgar a escolha de Gilberto Leal como o primeiro secretário da nova administração não há menção à relação do escolhido com a campanha de Adriano Silva. Constava apenas que o indicado obteve as melhores notas no processo seletivo do partido Novo para o alto escalão do governo.

Dos 1.451 inscritos para o cargo de secretário, ele foi um dos 444 selecionados para a fase de testes. No total, o Novo recebeu 8.585 currículos para o alto escalão do governo. Nesta primeira fase serão escolhidos secretários, diretores executivos e gerentes.

Divulgado durante a campanha eleitoral como um processo estritamente técnico, o processo seletivo do Novo foi executado com critérios políticos. “Conhecimento e alinhamento com o projeto de governo apresentado na campanha” foram itens descritos no edital como fundamental para concorrer às vagas.

Gilberto Leal tem formação técnica em metalurgia, administração e informação e graduação em direito e em tecnologia da informação. Foi diretor na Câmara de Vereadores de Joinville (CVJ) entre 2005 e 2006. É servidor de carreira há 13 anos, como analista de sistemas, e está lotado na Secretaria de Administração e Planejamento. Foi presidente da Fundação Municipal Albano Schmidt (Fundamas) no primeiro mandato do governo Udo Döhler.

Gilberto é filho da ex-vereadora Dalila Leal, que atuou na Câmara de Vereadores de Joinville em dois mandatos, entre 2005 e 2012.


Texto: Felipe Silveira
Foto: Site de Gilberto Leal