Carlos Moisés garante vacinação contra o coronavírus para SC

Nesta sexta-feira (11), um dia depois da assinatura do protocolo de intenções entre a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e o Instituto Butantan, o governador Carlos Moisés assegurou que Santa Catarina terá vacinação contra a covid-19. O chefe do poder executivo catarinense conversou com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o tema. De acordo com Moisés, o governo federal trabalha para anunciar o Plano Nacional de Imunização na próxima semana, com distribuição das doses entre o fim de janeiro e fevereiro de 2021.

Moisés se reuniu nesta sexta-feira com a Fecam. No encontro, sinalizou que caso seja necessário, o governo do estado dispõe de R$ 300 milhões separados em caixa para compra de vacinas. Os valores seriam suficientes para adquirir cinco milhões de doses. Além disso, o estado já adquiriu 15 milhões de agulhas.

“Estamos comprometidos em garantir a imunização dos catarinenses. O governo federal é o responsável pelo Plano Nacional de Imunização e temos que acompanhá-los nesse sentido. A parte do governo estadual está sendo feita, com a preparação da logística, das equipes de profissionais e licitação de seringas”, afirmou o governador, que também se manifestou em uma rede social.

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, afirmou que na próxima segunda-feira (14) será feita a apresentação do planejamento da Campanha de Vacinação para 2021, que já está pronto. “O programa brasileiro de imunização é o melhor programa de vacinação do mundo e ele precisa ser respeitado e valorizado. É obrigação do governo estadual preparar a logística, fazer o dimensionamento de insumos e equipes. Neste sentido, tudo está planejado e organizado”, destacou.

De acordo com a Secretaria da Saúde, o estado tem 1.186 salas de vacina e, neste momento, o trabalho é de ampliação e qualificação das equipes de vacinação.

Participaram da reunião nesta sexta-feira os deputados estaduais Paulinha, Luciane Carminatti, Vicente Caropreso, Zé Milton Scheffer e Ada de Luca, além do presidente da Fecam, Paulo Roberto Weiss, e prefeitos de cidades catarinenses.


Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Governo de SC