Por fake news, Justiça determina que Novo ceda direito de resposta a Darci de Matos

O partido Novo de Joinville terá que manter, durante 22 dias, em sua página no Facebook, uma publicação em que explica que Darci de Matos (PSD) não votou a favor do aumento do fundo eleitoral. A determinação é da Justiça Eleitoral, que condenou o partido de Adriano Silva por fake news contra Darci de Matos e concedeu o direito de resposta ao pessedista. Leia a sentença.

O partido Novo manteve no ar, entre 10 e 21 de novembro, uma publicação em que acusava Darci de Matos de ter votado a favor do aumento do fundo eleitoral. Só que Darci votou contra e pediu o direito de resposta à Justiça Eleitoral. De acordo com a sentença do juiz Gustavo Henrique Aracheski, a punição é a manutenção do direito de resposta pelo dobro do tempo que a acusação ficou no ar. Serão, portanto, 22 dias. A publicação deverá ser feita na página do Novo de Joinville.

O segundo turno da eleição joinvilense será neste domingo (29). Os joinvilenses vão escolher Adriano Silva (Novo) ou Darci de Matos (PSD) como o próximo prefeito de Joinville. No primeiro turno, o pessedista ficou na frente, com 66.838 votos (25,30%). Adriano Silva recebeu 60.728 (22,98%). Pesquisa publicada na segunda-feira (23) aponta que o candidato do Novo passou e ter a preferência no segundo turno.

Darci denuncia Gilson Marques

Na última sexta-feira (20), Darci de Matos convocou uma coletiva de imprensa para acusar o deputado federal Gilson Marques (Novo) de criar e espalhar um vídeo com mentiras sobre ele. De acordo com investigação interna, o material teria sido produzido por um funcionário público lotado no gabinete do deputado do Novo.

Segundo o deputado e candidato joinvilense, uma apuração interna apontou que a publicação foi gerada a partir do computador do funcionário Guilherme Noronha, do gabinete de Gilson Marques, e enviada, a partir do telefone de Edson Totem, em Joinville, a diversos grupos de Whatsapp na cidade, “com clara intenção de favorecer o candidato do Novo”.

Darci de Matos quer a apuração e a responsabilização do que considera crime eleitoral. Apresentou representação na Justiça Eleitoral, na Polícia Federal (PF) e ao Ministério Público Federal (MPF). Ainda segundo a assessoria de Darci de Matos, nesta semana o PSD vai ao Conselho de Ética da Câmara dos pedir a cassação do mandato de Gilson Marques por quebra de decoro. O deputado federal do Novo nega participação no caso.


Texto: Felipe Silveira
Foto e informações: Assessoria de Darci de Matos