Maria Cristina Dias é a primeira mulher a presidir Academia Joinvilense de Letras

A jornalista Maria Cristina Dias será a primeira mulher a presidir a Academia Joinvilense de Letras (AJL), que escolheu a nova diretoria para o biênio 2021/2022. A posse será no dia 16 de outubro. O médico Ronald Moura Fiuza será o vice-presidente. Os escritores David Gonçalves, Nelci Seibel e Else Sant’Anna Brum, que estavam à frente da gestão que está se encerrando, prosseguem na diretoria.

Maria Cristina Dias – Foto: Mauro Artur Schlieck/Divulgação

Maria Cristina Dias tem como temática principal do seu trabalho o resgate histórico da cidade. Atuou por mais de 22 anos em jornais diários de Santa Catarina, como Notícias do Dia, A Notícia e Diário Catarinense, e já foi coordenadora do Museu Nacional de Imigração e Colonização. É autora dos livros “Se Essas Paredes Falassem… – Um breve olhar sobre as antigas casas que marca a construção de Joinville” (2011) e “Mário Kruger – Uma vida dedicada ao desenvolvimento metalúrgico catarinense” (2019). Também é coautora de diversos livros e projetos de comunicação. Escreve cotidianamente sobre a história de Joinville no seu site.

A academia também elegeu três novos acadêmicos para seu quadro de membros efetivos: Simone do Nascimento Silva, como sucessora do acadêmico Carlos Gomes de Oliveira, na cadeira número 33; Walter de Queiroz Guerreiro, como sucessor do acadêmico e fundador da AJL, Adolfo Bernardo Schneider, na cadeira número 36; e José Carlos Vieira, como sucessor de Miraci Dereti, na cadeira número 4. A data da posse dos novos acadêmicos ainda não está definida.

A Academia Joinvilense de Letras (AJL) foi fundada em 15 de novembro de 1969 e teve como primeiro presidente  o escritor e historiador Adolfo Bernardo Schneider. Tem como missão estimular a criatividade literária e a pesquisa, preservar os valores culturais da cidade e do estado de Santa Catarina e valorizar as atividades culturais e artísticas da região.

A AJL é a segunda mais antiga academia de letras de Santa Catarina. Antes dela só havia a Academia Catarinense de Letras (ACL), fundada em 1920.


Edição: Felipe Silveira
Foto no topo: Arquivo pessoal
Informações: AJL