Médica cria petição para pedir lockdown em Joinville

Depois de ouvir relatos de médicos desesperançosos e revoltados com a situação da pandemia, uma médica da cidade, que preferiu não se identificar por medo de represálias, resolveu criar uma petição online para que seja decretado lockdown em Joinville. Caso fosse adotada, a ação, na prática, fecharia todos os serviços não essenciais e estabeleceria isolamento da população. A profissional afirma ter apoio de diversos colegas.

“A Prefeitura de Joinville continua omissa nas ações, o poder executivo se nega a decretar lockdown enquanto os leitos públicos de UTI estão com 100% da capacidade [ocupada]. Pedimos o lockdown sabendo que não vamos zerar a transmissão do vírus, mas para que quando os pacientes precisarem de leitos de UTI e respiradores possam ter acesso garantido ao tratamento! A saúde é um direito de todos”, diz um trecho da justificativa da petição.

Até às 22 horas desta quinta-feira (30), mais de 350 pessoas haviam assinado a petição que pede lockdown na cidade. O fator que mais influenciou na criação da petição é a situação dos hospitais na cidade. Os 123 leitos de UTI de Joinville, somando redes pública e privada, estão com 93% de ocupação. São 103 pacientes com diagnóstico confirmado da doença e 11 que aguardam resultados. Há apenas nove leitos disponíveis.

“Conversei com vários amigos que estão em hospitais que ficam revoltados com o descaso das autoridades. Estão todos desesperançosos, sentindo que estão enxugando gelo”, argumentando que, “mesmo que a petição não dê em nada, acho que a opinião de profissionais da saúde ainda é levada em conta pela maioria da população”.


Texto: Alexandre Perger
Foto: Xiao Yijiu/Xinhua (Governo da China)