Comissão Processante devolve denúncia contra Odir Nunes

Na sessão ordinária de quarta-feira (22), o vereador Mauricinho Soares (MDB), presidente da Comissão Processante, devolveu ao presidente da Câmara, Cláudio Aragão (MDB), a representação pública contra o vereador Odir Nunes (PSDB), apresentada no dia 15 e em análise na comissão. O motivo da devolução foi o fato de a documentação estar incompleta, assim como a documentação do denunciante, que também não está em dia.

O Plenário virtual da Câmara de Vereadores de Joinville (CVJ) decidiu abrir a comissão processante contra o vereador Odir Nunes no dia 15 de julho, devido à manifestação do vereador em sessão no último dia 7 de julho, quando Nunes falou que, se fosse empresário, daria “uma camaçada de pau” no prefeito Udo Döhler (MDB). A abertura teve como base a representação do munícipe Carlos Eduardo da Silva. No documento, o cidadão pediu a cassação de Odir por quebra de decoro parlamentar.

A decisão de abertura da comissão foi aprovada por 11 votos contra cinco. Votaram a favor da abertura da comissão os vereadores Richard Harrison, Mauricinho Soares, Roque Mattei e Pelé (os quatro do MDB), Jaime Evaristo, Lioilson Corrêa e Natanael Jordão (os três do PSC), Ana Rita (Cidadania), Wilson Paraíba (Pros), Fabio Dalonso (PSD) e James Schroeder (PDT). Votaram contra a abertura os vereadores Ninfo König e Maurício Peixer (ambos do PL), Iracema do Retalho e Rodrigo Fachini (ambos do PSDB) e Tânia Larson (PSL).

O presidente da CVJ, vereador Claudio Aragão (MDB), não precisou votar. Ele só teria de votar se fosse necessário um voto para formação de maioria. Por sua vez, o vereador Odir Nunes, o representado, também não votou. O vereador Adilson Girardi (MDB) não estava na plataforma virtual no momento da decisão.


Edição: Felipe Silveira
Foto: CVJ
Informações: Assessoria de Odir Nunes