A política em Joinville: Mobilização por leitos tira foco do que importa

Por Felipe Silveira
Foto: Mauricio Vieira/Governo de SC

Antes mesmo de a rede pública ficar 100% ocupada, há duas quartas-feiras, a pauta política acerca da pandemia estava focada na ampliação de leitos de UTI em Joinville. Eles são necessários, de fato, mas não podem ser a única e mais importante pauta de enfrentamento à pandemia. E, ao focar no aumento de leitos e na cobrança por eles, os políticos da região quase nada falam sobre o que importa, que é evitar o contágio.

Peguemos o exemplo do prefeito Udo Döhler. Falou pouco e falou bobagem. São dois os erros. Em um momento tão grave, o prefeito precisa ser uma liderança. Não é o seu estilo, é claro, mas também não pode ser tão omisso. O cargo exige mais. Outro problema é que todas as falas do prefeito tentam minimizar o problema. Isso é muito grave.

Parte da sociedade pede isolamento total. Ele diz que não precisa porque há mais leitos. O que há é muito erro nessa resposta. Primeiro porque não haverá leitos o suficiente para tratar de uma doença que avança em progressão geométrica. Mais leitos exigem mais médicos, enfermeiros e outros profissionais que estão sofrendo muito na linha de frente. E mesmo que haja mais leitos e equipes profissionais o suficiente, tudo isso demanda muitos recursos públicos. Ainda, com tudo isso, não vale a pena pegar a doença.

A covid-19 é terrível. Você pode pegar e não sentir nada. Ou ter sintomas leves. Mas você também pode ficar muito mal. Sentir dores horrorosas, ficar sem ar, perder a fala e movimentos. Pode ficar meses em coma, entubado. E você pode morrer. Seus parentes podem morrer. E vocês nem poderão velá-los direito. Não há como saber se você não sentirá os sintomas ou se vai morrer. Vale arriscar?

Embora seja favorável ao isolamento, entendo parte da posição contrária ao lockdown, que entende haver etapas de distanciamento social antes do isolamento total. Mas que essas medidas sejam adotadas. Que a Prefeitura aja efetivamente para que as pessoas fiquem em casa e evitem o contágio. Minimizar a doença não ajuda.

Parlamentares

O discurso de Udo Döhler foi só um exemplo. Os parlamentes também não ajudam. Cobram leitos, anunciam recursos do governo federal e estadual. Mas há um silêncio sepulcral sobre isolamento. Aqui e ali pode haver algum comentário (é impossível acompanhar tudo), mas o discurso predominante ignora a importância de ficar em casa. Parlamentares, goste-se ou não, são lideranças nas suas comunidades e precisam exercer um papel mais decente.

Oportunismo

A jornalista Dagmara Spautz, da NSC, explicou com todas as letras a motivação política para essa postura: oportunismo. Com a proximidade das eleições municipais, políticos temem decisões impopulares. E numa sociedade tomada por doidos que votam em Jair Bolsonaro, tomar decisões razoáveis pode soar impopular mesmo. Apesar disso, alguns casos parecem pura ignorância. Quando Udo comentou que não morriam pessoas com menos de 60 anos por causa da covid-19, ele parecia mesmo acreditar nisso. Trágico de uma forma ou de outra.

Hidroxicloroquina

Tudo em torno dessa discussão é oportunismo e imbecilidade.


A política em Joinville é uma coluna informativa sobre o cenário político da cidade. Diariamente, a equipe de O Mirante destaca os principais acontecimentos do momento (do dia ou da semana). Atualmente, o editor Felipe Silveira é o responsável por ela. Você pode contribuir com pautas, com divulgação e com R$ 1 (ou mais), colaborando com nossa campanha. Saiba mais clicando na imagem abaixo.