A política em Joinville: Vereadores debatem novo decreto

Por Felipe Silveira
Foto: Captura de vídeo da Prefeitura

As novas medidas de restrição para combater a pandemia de coronavírus em Joinville foram tema de debate na Câmara de Vereadores. É unânime entre os parlamentares que cuidados são necessários, mas há algumas diferenças nos discursos. A situação saiu em defesa do decreto do prefeito Udo Döhler, enquanto a oposição criticou itens específicos e a condução do enfrentamento à pandemia na cidade. Houve, também, quem tentou diminuir a gravidade da doença que já matou mais de 50 mil brasileiros e brasileiras.

CORONAVÍRUS – Prefeito de Joinville, Udo Döhler, fala sobre o Decreto 38.520/2020 com novas medidas restritivas voltadas à prevenção ao Coronavírus no município.

Posted by Prefeitura de Joinville – SC on Tuesday, June 23, 2020

Ninfo König (PL), na sessão ordinária de terça-feira (23), criticou a atuação e a interpretação de texto dos colegas. Como exemplo, citou comentários sobre o número de mortos no Brasil. O país é o segundo no mundo com maior número de mortos, mas, para o vereador, esse dado tem que ser considerado de maneira proporcional à população.

O comentário de Ninfo irritou alguns colegas, especialmente Jaime Evaristo (PSC), que buscou notícias sobre o tema para reforçar o ponto. “É o segundo país, sim”, reforçou Jaime. Ele defendeu as medidas e pediu que as pessoas tenham mais cuidado para prevenir o contágio. O comentário foi endossado pela vereadora Ana Rita (Cidadania), que criticou a circulação de pessoas sem máscaras nos bairros.

Richard Harrison (MDB) também rebateu a fala de Ninfo, lembrando que o Brasil é um dos países que menos realiza testes no planeta. “O Brasil é o 110º país em número de testes por milhão de pessoas”, informou. Ele também criticou a falta de um ministro da Saúde efetivo no país.

Rodrigo Fachini (PSDB) criticou a decisão da Prefeitura. Para ele, é um absurdo proibir maiores de 60 anos de ir à rua, pois muitos precisam trabalhar para sustentar as famílias. “Não vai resolver a situação da covid na nossa cidade”. O decreto preve que pessoas acima de 60 anos saiam para trabalhar e para outras atividades essenciais. Fachini também voltou a criticar o baixo número de testes no município, tecla que vem batendo com frequência.

Mauricio Peixer (PL) criticou a liderança do prefeito Udo Döhler. “Ele não tem animação para falar”, disse, citando os prefeitos de Florianópolis e de Jaraguá do Sul como exemplos. O vereador lembrou que o prefeito joinvilense quase não falou sobre a pandemia e, quando falou, não foi muito assertivo.

Fabio Dalonso (PSD) não concorda com a restrição da circulação de idosos. Também propôs uma solução para liberar o acesso ao mirante de Joinville. Ele sugeriu que a Guarda Municipal fique no local orientando a população sobre os cuidados.

Manifestação de servidores mobilizada pelo Sinsej

Roque Mattei (MDB) apresentou a carteirinha de matemático para Ninfo. “Dependendo de como olharmos os números, podemos ser o primeiro ou o 19º”, registrou. Mas foi apenas uma digressão. Ele usou a palavra para defender a medida de restrição do governo aos idosos, em resposta ao colega Dalonso.

Claudio Aragão (MDB) defendeu as medidas do governo acerca do baixo número de testes. “Nós, parlamentares, queremos que seja feito mais, mais, mais… Com mais velocidade. Não tem equipamento”. Ele ainda criticou o “abandono” do governo do estado no enfrentamento à pandemia e pediu atenção dos deputados estaduais à questão.


Avança suspensão de pagamentos ao Ipreville

Ainda na Câmara, foi aprovado nas comissões de Legislação e de Finanças o PL 58/2020, que vai permitir à Prefeitura que suspenda até 31 de dezembro o pagamento das cotas patronais e refinanciamentos de dívidas ao Ipreville.

O projeto pode estar na pauta da reunião desta quarta-feira (24) da Comissão de Saúde e Previdência Social, que já tem reunião ordinária marcada para as 15 horas. Os servidores públicos do município protestam contra o projeto.


Fundeb em debate

“O que pode acontecer com a educação em Joinville se o Fundeb acabar?”. Esse foi o tema de um debate promovido pelo PT de Joinville na segunda-feira (22). Participaram a professora Jane Becker, que é presidenta do Sinsej, e o deputado federal Pedro Uczai (PT), que é membro titular da Comissão Especial do Fundeb. A conversa foi mediada pelo presidente municipal da sigla, Francisco de Assis.


Mais restrições

Pré-candidato a prefeito pelo PSOL, Guilherme Luiz defendeu medidas mais restritivas para o enfrentamento à covid-19 no município. “Não repensar a liberação do transporte público é um grande erro”, comentou em rede social. Ele também afirmou que esteve no mirante e verificou que a fiscalização não ocorre.


Mais transparência

Rodrigo Bornholdt (PSB), que ainda não pode ser considerado pré-candidato, já que a possibilidade legal ainda não existe (embora esteja em debate), pede mais transparência nos dados divulgados pela Prefeitura. Ele cobrou informações dos casos de servidores que tiveram diagnóstico positivo. “A prefeitura tem o dever de informar isso à população”, comentou em vídeo no Facebook.


Auxílio a guias de turismo

Com emenda substitutiva global apresentada pelo deputado Kennedy Nunes (PSD), reduzindo o valor da parcela para R$ 600 mensais, enquanto durar a pandemia e podendo ser renovado, foi aprovado o parecer favorável ao PL 185/2020, do deputado Felipe Estevão (PSL), que prevê um auxílio emergencial do Poder Executivo estadual aos guias de turismo, como forma de atenuar os efeitos da situação de calamidade decorrente da covid-19. O projeto inicialmente previa o pagamento de um salário mínimo mensal aos guias.

“São profissionais que estão sendo atingidos diretamente pela covid-19 e que ainda não foram beneficiados. Fizemos pela aprovação, com emenda, mantendo o teto do governo federal que é de R$ 600”, explicou Kennedy.


A política em Joinville é uma coluna informativa sobre o cenário político da cidade. Às segundas, quartas e sextas-feiras, a equipe de O Mirante destaca os principais acontecimentos do momento (do dia ou da semana) e outros temas da política municipal e estadual. Atualmente, o editor Felipe Silveira é o responsável por ela. Você pode contribuir com pautas, com divulgação e com R$ 1 (ou mais), colaborando com nossa campanha. Saiba mais clicando na imagem abaixo.