Após protestos, Univille adia início das atividades presenciais

A Univille adiou por pelo menos duas semanas o início do plano de retorno das atividades presenciais, que estava previsto para esta segunda-feira (22), na primeira de quatro fases. A decisão ocorreu após protestos dos estudantes, que se movimentaram através das redes sociais.

Em um comunicado oficial, a universidade, que tem as aulas presenciais suspensas desde 16 de março, afirma que a decisão será novamente avaliada daqui a duas semanas, antes de darem continuidade ao plano de retorno.

Na primeira fase, retornam exclusivamente atividades 100% práticas, de estágio presencial e em laboratórios. Devem ser envolvidas cerca de 60 disciplinas, e, segundo a Univille, pessoas em grupos de risco vão permanecer em home office, com previsão de retorno presencial somente na quarta fase.

O Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi (Calhev) foi uma das entidades ligada aos estudantes que se manifestou, criticando a decisão de retorno das aulas presenciais. O grupo critica também a exigência feita pela universidade para que os alunos assinem um termo de consentimento e responsabilidade sobre os riscos relacionados à covid-19, que vale inclusive para pessoas que estão nos grupos de risco.

De acordo com a Univille, em nota enviada à imprensa, a universidade criou dois termos de adesão, que deveriam ser assinados pelos alunos que retornariam às aulas.

Segundo a instituição, o primeiro, o Termo de Responsabilidade, confirma que toda comunidade acadêmica teve acesso ao Protocolo de Biossegurança, além de definir que o aluno é responsável por seguir as diretrizes do protocolo, sob pena de sofrer “sanções disciplinares previstas no Regimento da Univille”, conforme aponta o documento.

Já o Termo de Livre Consentimento e Responsabilidade deve ser assinado se o estudante se enquadrar no grupo de risco e, mesmo assim, optar por participar das atividades presenciais, tendo ciência de que sua presença não é obrigatória e que não será prejudicado caso não volte às atividades acadêmicas presenciais nesta fase do retorno gradual.

O documento aponta que o aluno de grupo de risco, ao assinar o documento, é “integramente responsável pelo retorno às atividades acadêmicas presenciais neste momento, isentando a FUR/UNIVILLLE de quaisquer responsabilidades” pela escolha do mesmo.


ERRATA: Esta notícia foi inicialmente publicada sem a nota oficial da Univille, enviada por e-mail para a redação do jornal O Mirante. As informações sobre os termos e os links que direcionam para os mesmos documentos foram acrescentados depois da publicação inicial.


Texto: Redação O Mirante
Foto: Univille