50,7% dos catarinenses afirmam ter pouco medo de contrair coronavírus

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio SC) realizou uma pesquisa sobre como a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) está afetando o dia a dia dos catarinenses, além de analisar como essas pessoas estão avaliando as medidas do Governo de Santa Catarina.

O levantamento foi feito entre os dias 31 de março e 3 de abril, por meio de um questionário online respondido por 365 catarinenses de todas as regiões do estado. A confiabilidade da pesquisa é de 90% e a margem de erro é de 4,32%.

Pessoas de 18 a 80 anos responderam o questionário, fazendo com que a idade média dos respondentes fosse de 40,3 anos. Segundo os dados da pesquisa, 54,5% das pessoas são do sexo feminino e 44,9% do sexo masculino. O levantamento aponta que 37,8% dessas pessoas trabalham na iniciativa privada e 38,6% possuem uma renda familiar mensal de R$ 1.996 a R$ 4.990.

Acesso à informação e medo de contágio

Das 365 pessoas que participaram da pesquisa, 81,1% delas afirmam terem conhecimento sobre o coronavírus e se sentem bem informadas sobre a situação, enquanto 16,7% estão mais ou menos informadas e 1,9% não se sentem bem informadas.

Sobre o medo do contágio, 50,7% dos participantes afirmaram ter pouco medo de se contagiarem, enquanto 35,6% têm muito medo de se infectarem com a Covid-19. 13,7% dos entrevistados afirma não ter medo algum de contrair o novo coronavírus.

Isolamento social

De acordo com a pesquisa, a maioria dos participantes afirma estar seguindo as medidas de isolamento social, com 69,6% afirmando que estão seguindo as instruções, apenas saindo de casa para fazer compras. 10,4% dizem que estão completamente reclusos. Apenas 2,2% das pessoas não estão seguindo as medidas de isolamento social, saindo a todo o momento.

Dos entrevistados, 14,5% continua saindo para trabalhar, porque afirmam atuar em ramos de atividades essenciais, enquanto 3,3% afirma que a empresa onde trabalha não está seguindo os decretos do governo, continuando as atividades presenciais.

Aquisição de itens de higiene e prevenção

Embora a maioria dos entrevistados tenha comprado álcool em gel para higienizar as mãos com mais frequência (73,4%), apenas 20,5% das pessoas adquiriram as máscaras, que são recomendadas pelo Ministério da Saúde e por decreto da Prefeitura de Joinville.

Dos participantes da pesquisa, 14,5% afirma não ter encontrado os itens de higiene e prevenção ao novo coronavírus à venda e 11,2% diz não ter ido atrás de nenhum deles.

Avaliação da atuação do Governo estadual

Segundo a pesquisa da Fecomércio SC, 60,6% dos entrevistados avaliam a atuação do governo de Carlos Moisés (PSL) contra a pandemia do novo coronavírus de forma positiva (ótima ou boa), enquanto 13,1% avaliam negativamente (ruim ou péssima). Outros 24,7 avaliam as medidas do governo como regulares.

Entre as medidas com maior aprovação dos entrevistados, estão a suspensão do campeonato estadual de futebol (36,2%), a proibição da concentração e a permanência de pessoas em espaços públicos de uso coletivo (32,1%) e a suspensão das aulas (31,8%).

A suspensão das atividades e os serviços públicos não essenciais no âmbito municipal, estadual e federal e a suspensão das atividades e os serviços privados não essenciais são as medidas menos aprovadas, com 15,9% e 13,2% de concordância por parte dos entrevistados, respectivamente.


Texto: Fernando Costa
Foto: Fecomércio SC/Divulgação