Famílias de Garuva e de Joinville pedem ajuda para reconstruir casas após incêndios

Na semana passada, dois incêndios destruíram casas de famílias na região Norte de Santa Catarina. No dia 30 de março, Sandra Maria de Souza, mãe de três crianças, perdeu a casa no bairro Três Barras, em Garuva. No dia 3 de abril, o fogo tomou conta da residência da estudante Bruna Bertotti, que morava com a mãe, no bairro Iririú, em Joinville.

Agora as duas famílias, que perderam todos os pertences, buscam reconstruir as casas e as vidas. Para isso contam com a ajuda das pessoas por meio de campanhas de arrecadação online (vaquinhas). Para contribuir com a reconstrução da casa da Sandra, clique aqui. Para ajudar a família da Bruna, aqui.

Bruna Bertotti estuda educação física e trabalha. Ela e a mãe saíram apenas com a roupa do corpo do incêndio. Atualmente, estão na casa de parentes e amigos próximos. Bruna ainda procura um dos gatos que sumiu após o incêndio. O outro gato e o cachorro que moravam na casa estão bem. Após resolver os documentos, elas querem reconstruir a casa.

A vaquinha online, puxada por amigos da estudante, é para ajudá-las com a compra de roupas, móveis e materiais de construção para que possam refazer o lar. Quem quiser doar diretamente pode entrar em contato com a estudante pelo telefone (47) 99665-3380.

Sandra tem 35 anos e cuida de três filhos, sendo que duas crianças são autistas. O salário mínimo é para necessidades básicas, como o tratamento das crianças, medicações e fraldas. Sem condições de comprar brinquedos, comida e roupas, pedem ajuda por meio de uma arrecadação virtual ou doação de materiais de construção. A família está na casa dos avós salvaram a família. No momento, sete pessoas estão na mesma casa.

A moradia de Sandra só tinha uma porta, de modo que passaram por dificuldades para escapar do incêndio. O filho caçula, de 3 anos, ainda está traumatizado. A mãe conta que a criança grita na hora de tomar banho. Ela lamenta muito por ter perdido todos os pertences, mas ficou aliviada por terem escapado.

A comunidade está ajudando a família. A ideia é construir uma casa confortável, sem riscos de incêndio. Segundo a vizinha e amiga Maria de Lourdes Sabel, a comunidade toda se mobilizou. Ela e outros amigos da comunidade querem ajudar a construir uma casa nova, com acessibilidade, para a família não se preocupar mais.

“Queremos uma casa digna para ela criar os filhos”, afirmou Maria. O terreno já está limpo e agora estão procurando alguém que se proponha a aterrar (já ocorreram alagamentos na região). A amiga da família conseguiu contatos e pediu um projeto de moradia com acessibilidade. A ideia é fazer três quartos, além de uma cozinha com varanda.

Sandra, que perdeu a casa na semana passada, cuida de três crianças – Foto cedida por Herison Schorr

 


Texto: Lucas Borba e Felipe Silveira
Foto no topo: Cedida por Bruna Bertotti