Pequenos negócios já demitiram cerca de 148 mil catarinenses

O Sebrae/SC divulgou, na manhã desta quinta-feira (2), uma pesquisa em que apresenta o impacto da pandemia do coronavírus nos empregos de Santa Catarina. De acordo com a sondagem, que analisou o universo dos pequenos negócios, cerca de 148 mil pessoas já perderam seus empregos desde o início do isolamento social no estado, no dia 18 de março.

Santa Catarina tem 785.147 pequenos negócios. Desses, 380.472 são micro e pequenas empresas e os demais microempreendedores individuais, os quais são responsáveis por 91% dos empreendimentos e por 57% dos empregos formais do Estado. Para o estudo, o Sebrae/SC ouviu 2.120 empresários, de todas as regiões de Santa Catarina. A pesquisa apresenta um índice de confiança de 95%, cuja margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

As regiões mais impactadas, de acordo com o Sebrae/SC, são o Planalto Serrano, a  Sul e o Foz do Itajaí, com 22,83%, 22,82%, 22,81% respectivamente das empresas apontando demissões no período. Já as regiões do Vale do Itajaí, Oeste, Meio Oeste, Norte e Grande Florianópolis variam entre 19,83% e 16,27%. A região com menor impacto até o momento é a do Extremo Oeste, com 15,63% dos empresários apontando demissões.

Por setor, as mais impactadas foram as micro e pequenas empresas da indústria, em que 25,19% precisaram demitir, seguido do comércio, com 22,10%, do agronegócio, com 17,39%, e dos serviços, com 16,46%.

Em relação ao faturamento, 91% dos empresários registraram uma redução de 90% no faturamento, o que resulta numa perda bruta de R$ 4,4 bilhões. Todas as regiões foram fortemente impactadas. Os maiores índices foram da Foz do Itajaí, com 94.30% dos empresários apontando redução, seguida pela Extremo Oeste, com 93,75%, e do meio oeste, com 93,06%. A região do Planalto Serrano foi a que registrou o menor índice, com significativos 88,04% das empresas assumindo queda de faturamento.

De acordo com o diretor técnico do Sebrae/SC, Luc Pinheiro, é importante lembrar que os pequenos negócios catarinenses são responsáveis por 57% do empregos formais de Santa Catarina e por 37% do PIB do Estado. “A representatividade das micro e pequenas empresas na nossa economia é evidente. É dever de todos olhar para os pequenos negócios e garantir a sobrevivência deles. São as pequenas empresas que irão ajudar o estado e o país a retomar o desenvolvimento econômico quando essa crise passar. Por isso, precisamos olhar por elas agora”, comenta Luc.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Arquivo
Informações: Sebrae/SC