Entidade entrega macacões e respiradores à Secretaria de Saúde

A Associação Empresarial de Joinville (Acij), por meio do seu comitê de crise, deu início a entrega de parte dos equipamentos adquiridos para auxílio ao sistema de saúde. Ao Hospital Municipal São José foram entregues mil macacões e dois respiradores adquiridos no mercado nacional para atendimento de pessoas com coronavírus (covid-19).

Na quarta-feira (25), os vice-presidente da Acij entregaram pessoalmente 200 macacões e os respiradores ao secretário Municipal da Saúde, Jean Rodrigues. Nesta sexta (26), a Acij concluiu a entrega dos outros 800 macacões no almoxarifado do órgão de saúde. Os materiais serão usados por profissionais que atuam no hospital, em Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs), no Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), entre outros.

Com a arrecadação de fundos por meio da conta bancária (Banco Sicredi 748; Agência 2602; Conta Corrente 17391-6), até o momento foram adquiridos e entregues os mil macacões, os dois respiradores de ar e os filamentos para confecção de máscaras faciais antivírus em impressão 3D. Também estão comprados e devem chegar da China em 15 a 20 dias as 150 mil máscaras, sendo 50 mil para profissionais da saúde (N95), mais 50 mil óculos para uso em hospitais, três mil cestas básicas e cem colchões.

Respiradores doados pela Acij em testes no Hospital São José

“A Acij atua com três frentes e, para todas elas temos recebido participação dos nossos associados e da comunidade. Uma é a aquisição de equipamentos às unidades de saúde, a outra são obras para conclusão emergencial de 53 leitos no Hospital Municipal São José em menos de um mês e a terceira é a central de triagem montada na Associação Atlética Tupy”, explica o presidente da entidade, João Joaquim Martinelli.

Segundo o empresário, o valor dos materiais adquiridos ultrapassa 1 milhão e ainda estão em fase de cotação e aquisição outros produtos. É o caso de mais 14 respiradores. “Temos recebido muitos pedidos, como doação de alimentos e outros materiais para lar de idosos. Mas é preciso dizer que, além dessas ações com os recursos da conta criada especialmente para atender demandas do Covid, sobretudo do sistema de saúde, nós também temos empresários com ações voluntárias expressivas”, comenta Martinelli.

Na Acij, cada ação está sob a coordenação de um vice-presidente: Fernando Cestari de Rizzo (central de triagem), Marco Antonio Corsini (obras no São José), Adriano Bornschein Silva (compra de materiais) e Marcelo Hack (fabricação de protetores faciais). A campanha de arrecadação de fundos dos empresários e do cidadão que desejar contribuir vai até o mês de abril.

Centro de Triagem

Trabalhadores finalizam preparação do centro de triagem do coronavírus no ginásio da Associação Atlética Tupy

A entidade também finaliza a preparação do centro de triagem do coronavírus, que começa a atender na próxima semana, na Associação Atlética Tupy, no bairro Boa Vista. O local vai funcionar com 25 salas, sendo 20 para avaliação clínica, gratuita. Dar suporte para as unidades de saúde da cidade e evitar a superlotação e aglomeração nas unidades hospitalares da cidade é o objetivo principal do espaço.

O projeto é liderado pelo vice-presidente da Acij e CEO da Tupy, Fernando Cestari de Rizzo, e terá coordenação do infectologista Luiz Henrique Melo. A Universidade da Região de Joinville (Univille) irá ceder acadêmicos do último ano do curso de medicina para atuarem no local com outros profissionais de saúde, médicos e enfermeiros. “Inicialmente, teremos 20 pessoas atendendo por turno de seis horas e farão a análise simultânea de 20 pessoas durante 24 horas do dia”, explica Melo.

O paciente com suspeita de coronavírus vai acessar um aplicativo de casa e realizar o cadastro com dados documentais. Depois vai responder algumas perguntas de caráter clínico, uma pré-avaliação médica. “O próprio aplicativo vai responder ao cidadão se ele deve ligar para central telefônica do coronavírus em Joinville, dirigir-se à Central de Triagem ou imediatamente a um hospital”, explica o infectologista responsável.

Ao chegar na Central de Triagem o paciente é encaminhado para avaliação em áreas com ambulatório e macas. Na forma como o espaço foi planejado e montado, as pessoas que chegam não têm contato com outras que passaram por avaliação e estão de saída. Também haverá ambulância de plantão para encaminhamentos aos hospitais. Acerca da pandemia, segundo o médico o Estado ainda está na fase ascendente da curva de contaminação e por isso as pessoas que são do grupo de risco devem permanecer em casa.

“Em Joinville, o setor público e a privada estão unidas em busca das melhores soluções para a preservar a saúde de todos. Como empresa e, orientados pelos nossos valores, temos o dever moral de contribuir e o espaço de triagem é um exemplo de que juntos podemos fazer mais”, comentou o responsável pelo projeto, Fernando Cestari de Rizzo.

Ligue-Saúde

Para tirar dúvidas sobre a doença, os cidadãos podem contatar o Ligue-Saúde, da Secretaria da Saúde de Joinville. É preciso telefonar para o número (47) 3481-5165, de segunda a sexta-feira, das 7 às 18h30. A central está instalada na Secretaria da Saúde com 20 estações de atendimento. Do outro lado da linha está um médico da rede pública ou um médico voluntário para esclarecer dúvidas.


Edição: Felipe Silveira
Fotos: Carlos Junior/Acij
Informações: Acij