Museu Fritz Alt retoma programação mensal de oficinas educativas

A programação mensal de oficinas educativas do Museu Fritz Alt começa neste sábado (14), às 14 horas. As oficinas são gratuitas e ministradas pela equipe de educadores do museu.

Na primeira edição, a atividade principal será a colagem. Após realizarem uma visita monitorada à exposição “A dialética do corpo”, que reúne esculturas e esboços assinados por Fritz Alt, os participantes receberão imagens de obras do artista plástico e poderão fazer suas próprias criações, por meio de colagens de figuras e recortes.

A prática é inspirada no trabalho de Fritz Alt, que utilizava a técnica da colagem como uma das suas linhas de estudo. “O objetivo das oficinas educativas é oferecer ao público uma imersão no processo de criação de Fritz Alt e criar um diálogo com a obra do artista. Além disso, é uma oportunidade para a comunidade visitar e se aproximar do Museu”, explica a educadora do museu, Deise Oliveira.

A oficina de colagem do Museu é aberta a adultos e crianças e não é preciso ter conhecimento prático para participar. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser feitas pelo e-maileducativofritzalt@gmail.com ou pelo telefone (47) 3433-3811.

Após a realização da oficina educativa, com término previsto para as 15h30, os participantes podem aproveitar a tarde para um piquenique ou atividades ao ar livre, tendo os jardins do Museu Fritz Alt como cenário.

As oficinas educativas também podem ser realizadas por grupos e turmas escolares, no horário normal de atendimento do Museu Fritz Alt, de terça-feira a domingo, das 10 às 16 horas. Também é necessário agendamento prévio.

Quem foi o artista Fritz Alt

Contrário à guerra e descontente com o ensino das escolas de arte que frequentava na Alemanha, em 1921, Fritz Alt deixou seu país e veio para o Brasil, onde se instalou no Rio de Janeiro.

Como não tinha concluído o curso de escultura, sua profissão foi considerada indefinida e Fritz Alt foi enviado para trabalhar na lavoura, em Joinville. Em 1924, contraiu malária e foi tratado pelo médico militar do 13º Batalhão de Caçadores (atual 62º Batalhão de Infantaria) e passou a realizar serviços de pintura no local.

Em 1926, criou o busto em bronze da princesa Dona Francisca, em comemoração aos 75 anos de Joinville. A partir de então, sua obra ganhou repercussão e ganhou espaço em locais como o Palacete Schlemm e a Sociedade Harmonia Lyra.

Em meados da década de 1940, em parceria com o arquiteto e amigo Paul Helmuth Keller, Fritz Alt projetou sua casa-ateliê, com influência da cultura alemã, combinada a traços originais e funcionais que representam a personalidade do artista.

Fritz Alt faleceu em 1968 e, dois anos mais tarde, sua casa foi transformada em museu, que funciona até hoje.


Edição: Fernando Costa
Foto: Google Sites
Informações: Prefeitura de Joinville