Ajorpeme pede que Udo e servidores busquem solução para a greve

A Associação de Pequenas, Micro e Médias Empresas de Joinville e Região (Ajorpeme) emitiu, nesta sexta-feira (28), uma nota sobre a greve do serviço público em Joinville. “A paralisação afeta diretamente a comunidade. Por isso, solicitamos à Prefeitura de Joinville e ao Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville (Sinsej) uma solução rápida, para que os serviços públicos possam ser restabelecidos”, registra a nota.

A greve foi declarada na penúltima segunda-feira (17). As principais razões eram o combate a dois projetos de lei que tramitavam na Câmara e a pressão pelo atendimento do prefeito com o objetivo de iniciar a discussão salarial desde ano. Um dos projetos em questão, o PLC 51/2019, já foi arquivado. O outro, PLC 3/2020, segue em tramitação. Uma comissão de servidoras está ocupando, desde a última quinta-feira (20), a ante-sala do gabinete do prefeito.

“Entendemos que a reunião de 16 de março, apontada pela Prefeitura como antecipação das negociações sobre a pauta de demandas de 2020 do funcionalismo é importante e necessária. Porém, a comunidade joinvilense não pode esperar tanto tempo”, afirmou Adael dos Santos, presidente da Ajorpeme.

Neste sábado (29), grevistas vão ocupar o gramado da Prefeitura com um churrasco compartilhado. Interessados devem levar carne, talheres, pratos e canecas. A atividade cultural ainda contará com oficinas de capoeira e teatro, rodas de conversas temáticas e outras atividades.


Texto: Felipe Silveira
Foto: Sinsej
Informações: Ajorpeme | Sinsej