Gastos com saúde em Joinville aumentaram 10% em 2019

A Secretaria de Saúde apresentou, na última quarta-feira (26), na Câmara de Vereadores de Joinville, a prestação de contas dos investimentos e das atividades feitas na área ao longo de 2019. O município gastou R$ 748,6 milhões em saúde no ano passado. Foi um crescimento de 10% em relação a 2018, quando os investimentos totalizaram quase R$ 683 milhões.

Pelos dados da Secretaria, o gasto ao longo do último ano em saúde por habitante foi de R$ 1.283, o que representa um crescimento de 9% em relação a 2018, quando o gasto no ano por habitante foi de R$ 1.181.

O percentual de aplicação da receita de impostos líquida e transferências constitucionais e legais em ações e serviços públicos de saúde foi de 39,65%, acima do mínimo constitucional, que é de 15%.

Sobre os serviços prestados, a Secretaria informou que ampliou o número de equipes da estratégia da saúde da família. No final de 2019 o município já contava com 131 equipes, atingindo o percentual de 78% de cobertura da estratégia de saúde da família.

Dengue, sarampo e febre amarela

O secretário de Saúde, Jean Rodrigues da Silva, afirmou que hoje existem dois grandes desafios na saúde no Brasil. Na visão do secretário, um deles é o novo coronavírus, mas, em Joinville, as prioridades são a dengue, o sarampo e a febre amarela.

No ano passado, o número de focos do mosquito transmissor da dengue aumentou em relação aos anos anteriores, o que, segundo o secretário, é muito problemático.

Segundo os dados apresentados, 2019 teve um aumento de 312% do número de focos do mosquito da dengue em relação a 2018. Foram 20 casos de dengue confirmados no município no ano passado.

Em fevereiro deste ano, Joinville já tem 14 casos confirmados. “A dengue é o nosso desafio, é um problema de saúde pública muito sério. Em todos os bairros da cidade há focos de mosquito e a população tem que estar atenta”, afirmou, pedindo a colaboração para a comunidade não deixar água parada que possa abrigar focos do mosquito.

Sobre o sarampo, o secretário destacou que o município fez vários mutirões de vacinação. “Entretanto, mais de 130 mil joinvilenses não se vacinaram. É uma década de pessoas que não foram vacinadas. Na dúvida o cidadão deve procurar uma UBS”. Segundo os dados da Secretaria, foram 146 casos confirmados de sarampo em Joinville no ano passado.

A vacinação da febre amarela também não atingiu as metas estabelecidas. A Secretaria informou que apenas 76,1% do público alvo da campanha foi vacinada.


Edição: Fernando Costa
Foto: Mauro Artur Schlieck/CVJ
Informações: Divisão de Jornalismo da CVJ