Espetáculo conta a história de casarão centenário em São Francisco do Sul

Foi por volta de 1850 que uma grande casa foi construída em São Francisco do Sul. Com diversas palmeiras no caminho até a porta principal, o espaço, hoje conhecido como Casarão das Palmeiras, é o grande protagonista do espetáculo “A Casa”, que estreia no dia 2 de novembro e terá apresentações gratuitas até o dia 24.

Ao cruzar as portas do Casarão, o público será convidado a mergulhar em várias histórias, de diferentes épocas, que se misturam em um jogo entre realidade e ficção. Os convidados vão percorrer as diferentes salas da casa, especialmente montadas para a peça que pretende provocar diferentes sensações — desde animadora e de expectativa até àquelas que deixam em dúvida, que incomodam e que fazem, por diferentes momentos, as pessoas refletirem sobre o que foi feito e o que está sendo feito no Brasil como um todo.

São quase 200 anos impressos nas paredes, no teto, no chão, nas portas e em cada detalhe que há na casa, que guarda objetos de diferentes épocas, construindo o cenário desse espetáculo que aborda muito as relações interpessoais.

Mais do que uma peça de teatro, “A Casa” é a ocupação e revitalização de um patrimônio cultural, um presente para a cidade e para a população.

“O espetáculo une a arte teatral e a memória de gerações que passaram por este casarão histórico. Foram muitas lembranças compartilhadas. Muitas reais e outras que estão no imaginário da comunidade. Por meio da pesquisa fui montando esse quebra cabeça que dialoga com os ‘tempos’ das pessoas”, explica Jeanine Rhinow, uma das idealizadoras do projeto.

A peça

A peça é apresentada pela Tecer Teatro, com patrocínio da Secretaria Especial da Cultura e do Ministério da Cidadania. Durante quatro meses, artistas locais foram preparados por meio de oficinas de formação de atores, e, junto a uma equipe profissional, organizaram a produção do espetáculo “A Casa”. Ao todo, são 12 pessoas em cena, amparadas por uma equipe de 28 profissionais.

A montagem deste espetáculo teatral profissional em São Francisco do Sul é uma ação inédita e vem ao encontro da missão das idealizadoras do projeto de contar histórias que resgatem e valorizem a cultura e as pessoas.

“Contribuir para que a economia criativa se desenvolva nesta cidade, como em qualquer outra, para além da geração de renda econômica, nos anima a continuar nossa jornada, pois sabemos da importância de nosso trabalho para o desenvolvimento social e humano”, completa Fabiana Ferreira, também idealizadora do projeto.

O elenco é composto por Aline Azevedo, Djavan Renato, Fabiana Ferreira, Geise Maçaneiro, Júlia Vieira, Mario Negreth, Neia Herivera, Patrícia Menezes, Paulinho Maia e Tiago Novo. Tiago Constante, Reuel Silva, Mario Negreth e Djavan Renato são os músicos.

Sinopse

Clóvis, o mordomo de Madame Gilda, recepciona e guia o público por esta trama percorrendo diferentes épocas e cômodos do Casarão das Palmeiras. Antigas histórias que ali aconteceram, são entremeadas com a ficção e apresentadas por personagens que se cruzam pela casa, levando a plateia a vivenciar as emoções e sensações dessas memórias.

A história da casa

O casarão foi construído na década de 1850 por colonizadores alemães. Nos anos 1920 pertenceu à Igreja Luterana e funcionou como sede de uma escola de língua alemã e jardim de infância. Mede aproximadamente 396 metros quadrados, possui 12 quartos e segue o estilo arquitetônico germânico. As palmeiras plantadas defronte ao casarão, remontam à época da construção. A edificação pertence há mais de 50 anos à família Rhinow.

A ocupação do Casarão das Palmeiras com fins artísticos é um esforço de vários artistas, produtores culturais e colaboradores para a revitalização deste patrimônio histórico e sua transformação num centro cultural. Em 2019, foi criado o Instituto Babaétoungá do qual Fabiana Ferreira, mentora da Tecer Teatro, e Jeanine Rhinow são fundadoras, juntamente com outros integrantes do espetáculo.

O intuito é preservar e abrir as portas do Casarão das Palmeiras ao público, oferecendo atividades artísticas e culturais. O projeto A Casa é um ponto de partida, assim como o Quatro Estações – Circuito de Festivais, que vem acontecendo há um ano no Casarão das Palmeiras, para criação deste centro cultural.

O Casarão das Palmeiras fica na Alameda Ipiranga, 88, no bairro Rocio Grande, em São Francisco do Sul. O espetáculo vai ocorrer aos sábados e domingos, às 20 horas, entre os dias 2 a 24 de novembro. A classificação é de 18 anos e a entrada gratuita. Outras informações sobre o espetáculo, como sessões com acessibilidade e agendamento, podem ser encontradas na página do projeto.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Kelwin Grochowicz/Divulgação
Informações: Assessoria