Estudantes desenvolvem maquete tátil para pessoas com deficiência visual

Durante a Semana de Ação pela Educação Inclusiva, que ocorre de 23 a 27 de setembro, os alunos do curso superior em Design de Interiores da Faculdade Senac Joinville vão produzir uma maquete tátil para oferecer às pessoas com baixa ou nenhuma visão a leitura espacial de uma casa. A experiência desafiadora vai contemplar desde os tipos de materiais e texturas adequados para a representar a edificação até revestimentos e mobiliário.

Para facilitar ainda mais a leitura do espaço, os estudantes vão criar uma legenda dos objetos, como sofá, pia, piso, vaso sanitário, entre outros, com a definição ao lado em Braille. Desta forma, antes da prática com a maquete, será possível conhecer todos os elementos que a compõem. O projeto, que conta com a orientação da professora Ana Paula Coutinho e da coordenadora do curso, Graziella Demantova, tem como objetivo mostrar aos alunos os fluxos, normas de acessibilidade e outros princípios de design aplicados em uma residência de dois dormitórios.

“Temos consciência sobre a dificuldade destas pessoas em conhecer o mundo ao redor, e da necessidade de criarmos estratégias para uma educação inclusiva. Por meio da leitura espacial dos ambientes, vamos promover uma conversa sobre melhorias no espaço construído, mostrando que é possível fazer o projeto em conjunto com quem vai morar ou trabalhar em um determinado lugar”, afirma Graziella.

Para Ana Paula Coutinho, arquitetura, urbanista e professora do Senac, o objetivo da atividade de maquete tátil é ir além de compreender as necessidades das pessoas com deficiência visual, mas incluí-los realmente no projeto. “Para isso o desafio é desenvolver uma maquete tátil e inclusiva, que possa ser “lida” por um deficiente visual ou pessoa que tenha baixa visão, permitindo que a pessoa consiga entender o fluxo, organização espacial e conhecer sua casa”, explica.

Para produzir a maquete alinhada com as reais habilidades das pessoas com deficiência visual em leitura tátil, também foi realizada uma conversa com o vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Joinville, Paulo Sérgio Suldowski. Ele ressaltou a importância da maquete para que todas as pessoas possam ler um projeto arquitetônico.

“As pessoas com deficiências visuais devem ter uma participação ativa em ações e estudos relacionados a inclusão, contribuindo com conhecimento para promover melhorias, não sendo apenas meros clientes”, disse.

Semana de Ação pela Educação Inclusiva do Senac SC

A Semana de Ação pela Educação Inclusiva integra o calendário do Senac SC desde 2014, com a proposta de desenvolver atividades em todo o Estado que abordam temáticas como acessibilidade física, adaptação de materiais, tecnologias assistivas, barreiras atitudinais, entre outras – envolvendo estudantes, colaboradores e a comunidade em geral.

“Ao desenvolver essas ações e atividades, os alunos e profissionais têm a oportunidade de refletir sobre a importância de estarmos juntos, valorizando e respeitando a diversidade humana como inerente à sociedade, preparando os profissionais e futuros profissionais para considerar e atenderem as necessidades deste público”, acredita Camila Braga, analista de Educação Inclusiva do Senac SC.

A semana para realização destas ações tem o dia 21 de setembro como referência, já que nesta data é celebrado o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência.


Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Faculdade Senac