Despesa do município com saúde cresce 11% neste ano

A Secretaria de Saúde municipal apresentou nesta quarta-feira (25) a prestação de contas de trabalhos do segundo quadrimestre deste ano. Até agosto, foram destinados à saúde R$ 461,7 milhões, 11% a mais que no mesmo período de 2018. Desse valor, 65% foi usado em atendimento de média e alta complexidade.

A segunda maior fatia é a destinada à atenção básica, com 23% das despesas em saúde. Na atenção básica entram principalmente os postos de saúde (unidades básicas de saúde). O município registra atualmente 34,20% dos recursos de impostos aplicados em saúde.

A despesa média em saúde por habitante em Joinville entre janeiro e agosto deste ano foi de R$ 791, um crescimento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado.

Medicamentos

Os gastos com remédios foram de R$ 8,9 milhões. Os que mais são distribuídos pela Secretaria de Saúde são direcionados ao tratamento de hipertensão, diabetes, colesterol e depressão, além de anticoagulantes.

Atendimentos e exames

A Secretaria apresentou os números de atendimentos realizados na rede de saúde nos meses de maio, junho e julho. Foram 160,9 mil consultas médicas na atenção primária da rede de saúde, fazendo uma média de 2,5 mil por dia. Foram ainda 62,9 mil consultas com outros profissionais de saúde de nível superior na atenção básica, como psicólogos, dentistas, nutricionistas e enfermeiros, uma média de quase mil por dia.

Nos PAs da cidade foram 128,9 mil consultas de maio a julho, uma média de 1,4 por dia. Nos hospitais SUS, foram 124,5 mil consultas médicas, uma média de 1,3 mil por dia. Destas, foram 38,9 mil no Hospital Municipal São José (31% do total).

Considerando atenção básica, PAs e hospitais, a média é de 5.309 consultas por dia na rede pública em Joinville, o que representa um número de 8% da população atendida todos os dias.

No período de maio a julho, foram realizados 777,5 mil exames laboratoriais, fazendo uma média de 8,4 mil exames por dia.

São José

O Hospital Municipal São José (HMSJ) fez no período 1,8 mil procedimentos clínicos, 2,3 mil procedimentos cirúrgicos, 170 transplantes de órgãos, atendeu 16,8 mil pacientes no pronto socorro e realizou 19 mil consultas no ambulatório de especialidades.

Dentistas

A Secretaria de Saúde destacou também o atendimento da saúde bucal. Foram 9,7 mil primeiras consultas, ou seja, consultas de entrada do usuário no tratamento dentário; e 6,8 mil altas, o que faz com que se tenha o dado de 70% de resolutividade. A apresentação mostrou ainda que 27% do município tem cobertura de saúde bucal.

Essas apresentações devem ser realizadas pelos órgãos de saúde do Poder Executivo a cada quatro meses, em finais de maio, setembro e fevereiro, avaliando o andamento do trabalho. A obrigação está na Lei Complementar Federal 141/2012.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Mauro Arthur Schlieck
Informações: Divisão de Jornalismo da CVJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *