#NotasTricolores: um caminho para o Joinville

Inicialmente o JEC anunciou que jogaria a Copa SC com atletas do Sub-20, semifinalistas no estadual da categoria. Porém, 12 atletas já chegaram desde então, todos sem custo.Na apresentação de seis deles, o diretor de futebol Vilson Martins falou em brigar pelo título da Copinha. Porém, o JEC chega em um momento em que a estratégia tricolor encontra dois caminhos distintos. Os atletas oriundos da base têm feito boas partidas, embora só tenham vencido uma. Por outro lado, fica claro que a inexperiência não deixará o time brigar pelo título. O clube aposta que com a chegada dos 12 reforços, ajuda a suprir essa carência. Mas, a tendência é que atletas mais rodados, tenham um rendimento mais regular do que os recém-promovidos ao profissional.

Pedro Medeiros usa o que tem a disposição. Dos recém chegados, Renan Guedes, Rubens, Romário, Berg, Lucas de Sá já atuaram. Até o momento o técnico segue dando espaço aos garotos, mas com novas opções em boas condições físicas, veremos o quanto do time titular nas primeiras rodadas será mantido.

Diante disso, não se pode avaliar apenas o resultado final da Copinha. Há de se avaliar o quanto o Joinville conseguiu dar cancha e testar suas revelações e quanto dos reforços ele poderá aproveitar na temporada que vem. Uma eliminação na primeira fase com os garotos bem aproveitados pode ser mais vantajosa do que um vice-campeonato com um time majoritariamente formado pelos reforços. À conferir.

Topsun

Representantes da Topsun concederam entrevista na Arena – Foto: Yan Pedro/JEC

O JEC convocou uma coletiva para apresentar a parceria com a Topsun, empresa ligada a Weg. A marca já estampa a camisa do tricolor desde o começo da Copa SC, mas agora a parceria será incrementada. A empresa irá instalar placas de captação de energia solar fotovoltaica no CT do Morro do Meio. Ao todo serão 116 placas que devem gerar uma economia mensal de cerca de R$ 2,5 mil na conta de luz. No verão, a economia pode chegar a R$ 5 mil. O contrato vai até 2021. A economia prevista no período é de R$ 580 mil.

Voltando

O meia Chrystian se lesionou no último jogo-treino antes da Copa SC. Considerado um dos jogadores mais técnicos do elenco, o atleta provavelmente seria um dos titulares do time de Pedro Maradona. Sem atuar desde a lesão, o jogador voltou a trabalhar com o elenco nesta semana. Embora ainda esteja em trabalho de transição e condicionamento físico, o jovem jogador logo deve estar a disposição do treinador tricolor.

Prejuízos

O Joinville já mandou duas partidas em casa na Copa SC e teve prejuízo nas duas. Contra o Brusque a renda foi de R$ 5.980,00, mas o prejuízo total foi de R$ 9.677,08. Já contra o Marcílio a renda foi R$ 2.210,00, com um prejuízo de R$ 13.863,48.  E olha que nas duas partidas o Tricolor teve o maior público da rodada. A Copa SC, de fato, é muito deficitária.

Falta muito

Desde o mês passado o JEC vem fazendo a troca das carteirinhas dos sócios. Basta solicitar na Toca do Coelho ou pelo site nasceucampeao.com.br. Porém, segundo o departamento de marketing do clube, a minoria dos sócios efetuou a troca. O que significa que boa parte dos associados não têm frequentado os jogos da equipe.

Deu boa

A Costela de Chão promovida pelas categorias de base do Joinville no último domingo (15), rendeu R$ 14.616,73 de lucro limpo. Ao todo foram arrecadados R$ 29.071,54, mas as despesas com aluguel, banda, bebida, entre outros, somou R$ 14.454,81. O lucro será usado para bancar viagens, alimentação e demais custos das categorias de base do clube. Cerca de 200 atletas serão beneficiados com a arrecadação do evento.

Homenageados

Marcão (E) e Zé Carlos Paulista (D) receberam o título das mãos do presidente do Conselho, Darthanham de Oliveira (centro) – Foto: divulgação/JEC

Ídolos do clube, os ex-jogadores Zé Carlos Paulista e Marcão foram homenageados pelo Conselho Deliberativo do clube. O atacante e o goleiro receberam a honraria “Tricolor dos Tricolores”. Zé Carlos atuou no JEC nos anos 80, quando foi tricampeão catarinense. Já Marcão foi revelado pelo Tricolor nos anos 90 e era o goleiro dos dois últimos estaduais do clube, em 2000 e 2001.

Identidade

Nação estreou na Arena com um 0 a 0 diante do Jaraguá – Foto: Gustavo Mejia/Nação

O Nação fez sua primeira partida como equipe profissional no domingo, empatando com o Jaraguá em 0 a 0. Como mandante da partida, o clube mostrou que não vem para brincar no futebol profissional. Além do bom trabalho na comunicação, o time da Zona Norte da cidade mobilizou uma torcida considerável para uma equipe recém-fundada.

Incomodou

O Nação adesivou a antiga sala de imprensa do JEC na Arena Joinville. A plotagem, feita no sábado (14) de manhã, com o escudo e o mascote da equipe não agradou os “rivais”. Durante a tarde, dirigentes de Joinville e Fluminense, que chegavam para o duelo das duas equipes, manifestaram insatisfação ao ver a estrutura com a identidade visual azul e amarela. A Sesporte chegou a pedir a retirada dos adesivos, mas o clube ainda negocia o uso do local. Faz bem, porque a estrutura estava abandonada e causava um impacto visual negativo no estádio. Espanta ninguém ter tido a ideia antes.

Novas vestimentas

Novas camisas de passeio do Blackstar – Imagem: divulgação

O Blackstar divulgou em suas redes sociais as novas camisas de passeio da equipe. O design agradou os torcedores, que podem comprar as camisas entrando em contado com as redes sociais da equipe.

A coluna #NotasTricolores reúne informações de bastidores do Joinville Esporte Clube, Basquete e JEC/Krona, além de outros esportes da cidade, em edição semanal ou sempre que um grande assunto surgir. A autoria é do repórter Vitor Forcellini, também setorista do JEC na Sportmania Web Rádio, com o auxílio da redação de Replay Joinville/O Mirante. A foto em destaque é de Yan Pedro/JEC.