Outorga onerosa tem parecer favorável em Finanças

Foi aprovada na Comissão de Finanças, na reunião desta quarta-feira (4), a proposta que cria a outorga onerosa de alteração do uso de solo. O parecer favorável foi assinado pelo vereador Wilson Paraíba (PSB). O projeto segue agora para votação em plenário.

O texto autoriza a aplicação da outorga onerosa em dois casos: nas áreas de expansão urbana e nas áreas urbanas de proteção ambiental de cota 40, nas quais tenham sido executadas obras de terraplanagem ou mineração até a data de sanção da Lei de Ordenamento Territorial, dia 9 de janeiro de 2017.

Na semana passada, a Comissão de Urbanismo definiu a inclusão da emenda do vereador Jaime Evaristo (PSC), que altera o valor da taxa da outorga onerosa. Com a emenda, a taxa a ser paga pelos donos de imóveis será de 3% a 15%, para as áreas de cota 40, e de 3% a 30%, para as áreas de expansão urbana, recaindo sobre o valor da área que vai receber o novo uso. O cálculo exato para aplicação do percentual deve ser definido por decreto do prefeito Udo Döhler.

Contas 2016

A comisso também aprovou o relatório recomendando a aprovação do parecer prévio do Tribunal de Contas de Santa Catarina (TCE) sobre os dados da prestação contas do município de Joinville de 2016. O parecer prévio do TCE recomendou a aprovação das contas de 2016 do município.

O texto do relatório, assinado pelo vereador Ninfo Konig (PSB), será convertido em um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) de autoria da Comissão de Finanças. O texto começa então a tramitar normalmente, indo primeiro para a Comissão de Legislação.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Mauro Arthur Schlieck/CVJ
Informações: Divisão de Jornalismo da CVJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *