Assistência Social realiza workshop sobre inclusão profissional

Profissionais da área de gestão de pessoas e Medicina e Segurança do Trabalho participaram do workshop “Experiências inclusivas, compartilhando ideias”, realizado na terça-feira (20), na Univille. O evento foi coordenado pela Prefeitura de Joinville, por meio da Coordenação de Políticas Públicas da Pessoa com Deficiência, ligada à Secretaria de Assistência Social (SAS), em parceria com o Ministério da Economia, Univille e Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comde).

O objetivo foi sensibilizar os recrutadores a observar as pessoas com deficiência considerando seu perfil e competências profissionais, e não suas limitações físicas ou intelectuais.

“O entendimento que estamos transmitindo aos gestores é que as contratações de PCDs não sejam tratadas como obrigatoriedades legais ou cotas sociais, mas que esses profissionais sejam avaliados como as demais pessoas”, explicou o secretário de Assistência Social, Vagner Ferreira de Oliveira.

De acordo com o secretário, em Joinville o recrutamento de pessoas com deficiência é uma iniciativa fomentada pelo Centro Público de Atendimento ao Trabalhador (Cepat), que conta com departamento específico para contratação e inclusão de PCD. “Em nosso quadro de servidores públicos também contamos com pessoas com deficiência que ocupam diferentes postos de trabalho, incluindo o funcionário que faz o recrutamento”, completou.

Para o coordenador de Políticas Públicas da Pessoa com Deficiência da SAS, Paulo Suldóvski, um dos principais desafios para a inclusão das PCD no mercado de trabalho é a valorização do trabalhador por suas habilidades profissionais. Por isso, órgãos e entidades de Joinville estão realizando uma série de ações e iniciativas que vêm gerando resultados positivos.

“Em 2017, foram contratadas apenas cem pessoas com deficiência nos municípios de Joinville e Araquari. Em 2018, esse número subiu para 400. Esse resultado deve-se à união de diversas entidades que estão promovendo ações como o Feirão de Empregos, realizado no ano passado, e compartilhando experiências para que as empresas contratem mais PCDs”, contou Suldóvsky.

Troca de experiências

Para apresentar exemplos práticos de inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, o workshop recebeu gestores de recursos humanos das empresas Ciser, Millium e da própria Univille.

Na Universidade da Região de Joinville, os processos de contratação têm como premissa direcionar os profissionais para as vagas compatíveis com o perfil de cada um, respeitando sua individualidade e seu potencial. “Procuramos contratar a pessoa certa para o lugar certo. Entendemos que a pessoa que se identifica com o que faz é mais realizada e produtiva”, explicou o gerente de Gestão de Pessoas da Univille, Aldemir João.

Uma das ações implementadas pela Univille é o projeto “Somos todos iguais, somos todos diferentes”. Na iniciativa, pessoas com deficiência participam de aulas de teatro, dinâmicas e atividades lúdicas para trabalhar valores como aceitação e autoestima. Além disso, gestores e demais colaboradores também recebem capacitações para que tenham mais compreensão e aceitação dos colegas com deficiências.

“As pessoas com deficiência devem ser tratadas com respeito e profissionalismo, assim como qualquer profissional. Mas suas diferenças devem ser respeitadas. Os próprios gestores às vezes têm dificuldade em saber como cobrar ou tratar esses profissionais sem diferenciá-los dos demais”, disse Aldemir.

O workshop “Experiências inclusivas, compartilhando ideias” faz parte das ações relativas ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrado em 21 de setembro. Nos dias 26 e 27 de agosto, será promovido, ainda, o Simpósio de Educação para Todos, respectivamente no Teatro Juarez Machado e na UniSociesc, Campus Marquês de Olinda.


Edição: Felipe Silveira
Foto: Phelippe José/Prefeitura
Informações: Prefeitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *