Conselho das Entidades discute assuntos de interesse comum

O Conselho das Entidades de Joinville se reuniu na terça-feira (16) para discutir assuntos de interesse comum: licenciamentos ambientais e logística reversa, Canal do Linguado, Serra Dona Francisca, reformas da previdência e tributária, segurança, campanha sobre esmolas, entre outros.

O grupo é formado pela Associação Empresarial de Joinville (Acij), Câmara de Dirigentes Lojistas de Joinville (CDL), Associação dos Comerciantes de Material de Construção (Acomac) e Associação de Joinville e Região da Pequena, Micro e Média Empresa (Ajorpeme) – entidade que recebeu o encontro.

Para o presidente da Ajorpeme, Fernando Bade, houve avanço nos processos de licenciamentos ambientais na Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente(Sama). “Reunimos três vezes com a secretaria e, na próxima semana, teremos um novo encontro. Percebemos que os processos melhoraram com a reestruturação do órgão. Algumas cervejarias associadas, por exemplo, estão com problemas, pois os licenciamentos ambientais foram emitidos pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) e não valem para a Sama”, explicou.

O presidente da Acomac, Rudi Soares, afirmou que a Sama está notificando seus associados devido ao descarte de resíduos sólidos de materiais de construção: “Não existe um processo estabelecido pela prefeitura, não recebemos orientações sobre o descarte correto. Fomos apenas notificados, sem nenhuma explicação. O ideal seria uma campanha de conscientização”, disse.

Outro assunto abordado na reunião foi o sinal de celular na Serra Dona Francisca. Segundo representante da Acij, há contatos sendo realizados com as telefonias e com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para resolver o problema.

No aspecto de infraestrutura, a associação também abordou as obras de duplicação ao Distrito Industrial e a abertura do Canal do Linguado. “Tivemos uma reunião recente sobre o tema e percebemos que há necessidade de mais recursos para finalizar os estudos na Baia da Babitonga”, comentou João Joaquim Martinelli, presidente da entidade.

José Manoel Ramos, presidente da CDL, encerrou a reunião ao apresentar uma campanha para reduzir o número de moradores de rua em Joinville. A campanha, porém, consiste em espalhar placas pela cidade nas quais se sugere que a população não dê esmolas.


Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Acij