Paralisação reúne trabalhadores e estudantes em Joinville

A Greve Geral, chamada em todo o Brasil nesta sexta-feira (14) por sindicatos e movimentos sociais, não parou o país, mas mobilizou muita gente, inclusive em Joinville. Milhares de pessoas foram às ruas da cidade, durante a manhã, para protestar contra cortes na educação e contra a reforma da previdência.

A manifestação começou dividida, estrategicamente, e depois se uniu. De um lado, servidores públicos se reuniram na frente da Prefeitura, com início da concentração às 9 horas. Eles realizaram uma assembleia, na qual decidiram aceitar a proposta do prefeito Udo Döhler, finalizando a campanha salarial de 2019.

Ao mesmo tempo, outras categorias (bancários, metalúrgicos, petroleiros, professores e estudantes, entre outros) se reuniram na Praça da Bandeira. O ato foi puxado principalmente pelo Sindicato dos Metalúrgicos. Wanderlei Monteiro de Souza, metalúrgico, defendeu no microfone que nenhuma fala poderia ser impedida e que todas as pessoas de diferentes categorias poderiam dar os seus posicionamentos.

Uma delas foi Clarice Erhardt, do região joinvilense do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Santa Catarina (Sinte-SC). Ela defende que, para pôr fim a reforma da previdência e os cortes na educação, é necessário derrubar o governo Bolsonaro. “Mas não é para entrar o general, é para derrubar o capital”, bradou a sindicalista.

Por volta das 11h30, os manifestantes saíram em passeata seguindo pela Rua Princesa Izabel, depois viraram na Rua do Príncipe. Subindo a Rua do Príncipe, dobraram o trajeto na Rua 3 de Maio, ao lado da Caixa Econômica Federal. Seguindo depois pela Rua Rio Branco, manifestantes pararam em frente ao INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) e chamaram os trabalhadores do órgão público para o protesto.

A manifestação foi encerrada na Praça da Bandeira. Após fala de representantes do Movimento Passe Livre, cerca de 30 pessoas entraram de graça no Terminal Central pelas laterais. Dentro do terminal foram feitas falas contra as empresas Transtusa e Gidion, que operam o sistema de transporte público há décadas sem licitação. Usuários do transporte público e trabalhadores das empresas foram chamados para apoiarem as causas.

Veja as fotos
Greve Geral de 14 de junho em Joinville – Foto: Frente Joinville pela Democracia
Greve Geral de 14 de junho em Joinville – Foto: Frente Joinville pela Democracia
Greve Geral de 14 de junho em Joinville – Foto: Frente Joinville pela Democracia
Greve Geral de 14 de junho em Joinville – Foto: Frente Joinville pela Democracia
Greve Geral de 14 de junho em Joinville – Foto: Sinsej
Greve Geral de 14 de junho em Joinville – Foto: Frente Joinville pela Democracia

Texto e foto no topo: Lucas Borba
Edição: Felipe Silveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *