Campanha “Voe por Joinville” vai incentivar uso do aeroporto

Por causa de um histórico de cancelamento de voos, o Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, em Joinville, é subaproveitado.  O problema já foi resolvido, com a instalação do Instrument Landing System (ILS), em 2014, mas o terminal continua operando com uma média de 500 mil passageiros por ano, tendo capacidade para 1,3 milhões de pessoas no mesmo período.

Para mudar isso, o grupo Voe por Joinville prepara uma campanha com o mesmo nome. Com lançamento previsto para o próximo mês, a ideia é estimular a movimentação de passageiros e obter maior número de voos. A reunião do grupo foi realizada nesta semana, na Associação Empresarial de Joinville (Acij).

A mobilização terá vídeo institucional para uso em TVs e redes sociais; spots para rádios; outdoors no município, na rodovias e cidades da região; contato com grandes empresas que detém alto número de executivos que se deslocam por Curitiba ou Navegantes; conversa formal com autoridades do setor de aviação nacional; e uso da hashtag #voeporjoinville.

“O objetivo é desmistificar a informação de que Joinville tem voos sendo cancelados. Depois, incentivar que na próxima viagem as pessoas escolham voar por aqui. Com isso acreditamos aumentar o número de usuários e ter mais horários e novos destinos”, comentou Danilo Conti, Secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável de Joinville.

Segundo o grupo, somente um voo foi cancelado por falta de visibilidade desde o primeiro ano de funcionamento do ILS, Sem o sistema, seriam 102 decolagens ou pousos não realizados.

Integram o Voe por Joinville a Associação Empresarial de Joinville(ACIJ), a Associação dos Comerciantes de Material de Construção de Joinville (Acomac); a Associação de Joinville e Região da Pequena, Micro
e Média Empresas (Ajorpeme); a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), a Prefeitura de Joinville, o Joinville e Região Convention e Visitors Bureau; o Sindicado de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares; e agências de turismo.

“Temos de engajar a cidade por meio dos seus representantes, classe política e sociedade civil organizada para incentivar o uso do aeroporto. Novos investimentos, passagens mais acessíveis, mais voos, horários e destinos diferenciados depende desse movimento conjunto”, opinou o presidente da Acij, João Martinelli.

Edição: Felipe Silveira
Foto e informações: Assessoria