#NotasTricolores: Os bastidores e as causas da saída de Zé Teodoro

O martelo foi batido pela demissão de Zé Teodoro na manhã desta terça-feira (5). Mas a decisão vinha amadurecendo há mais tempo. Desde a eliminação para o Atlético-CE na Copa do Brasil já havia interesse entre os diretores pela demissão do treinador, embora a atuação regular contra o Marcílio Dias dias após queda na CB e as vitórias contra Criciúma e Brusque tenham dado fôlego ao trabalho.

Na segunda-feira, especulou-se a saída de Zé, mas em função de uma proposta vinda de outro clube. A informação acabou não sendo confirmada pelo treinador, que disse não ter recebido nenhuma proposta oficial na conversa com a diretoria nesta terça-feira.

No início da tarde, a informação da possibilidade da saída de Zé Teodoro foi publicada pelo colunista do #Notas Tricolores no Twitter:

E não foram só os resultados que derrubaram Zé Teodoro. Além do baixo aproveitamento, apenas duas vitórias em 12 jogos, o técnico Zé Teodoro, na avaliação interna feita no Joinville, não estava correspondendo em outros pontos.

Um deles era a cobrança interna com os atletas, que não desempenhavam aquilo que deles se esperavam, mas continuavam como titulares.  O outro fator importante foi a parte de treinamento. No entendimento do departamento de futebol, o conceito de jogo estava equivocado – com as atividades no CT indo na direção contrária ao que o time precisava.

A parte física – que vem sofrendo críticas – também está na análise. A avaliação é de que a marcação pressão vem exigindo demais dos jogadores – o que pode ter contribuído para lesões musculares e a queda de rendimento em alguns finais de jogos.

Multa pela saída

O Joinville vai pagar um mês de salário como multa pela dispensa do treinador, valor  que gira em torno de R$ 20 mil. Zé Teodoro foi procurado para comentar a demissão, que, oficialmente, foi tratada como um “comum acordo”; ele não atendeu às ligações nem respondeu as mensagens enviadas.

Quem vem?

O presidente do Joinville, Vilfred Schapitz, quer um novo comandante o mais rápido possível. São cinco nomes na mira. Um deles, apesar de o dirigente não confirmar, é Waguinho Dias, atual técnico do Marcílio Dias.

Em contato com a reportagem, o treinador disse que, por enquanto, não houve qualquer ligação vinda do Joinville. Mas deixou como possível a vinda para o Tricolor do Norte de Santa Catarina.

Enquanto isso…

É Danilo Portugal, contratado para ser a ponte entre o departamento de inteligência e Zé Teodoro, quem vai comandar o time até a contratação de um novo treinador. Apesar da pressa do presidente, a tendência é de que o profissional não venha tão rapidamente.

A coluna #NotasTricolores reúne informações de bastidores do Joinville Esporte Clube, Basquete Joinville e JEC/Krona, além de outros esportes da cidade, em duas edições por semana. A autoria é do repórter Yan Pedro, também setorista do JEC na Rádio Clube, com a colaboração de Vitor Forcellini e o auxílio da redação de Replay Joinville/O Mirante.

A foto em destaque é de Júlio Cesar/JEC.