Espiridião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) vão para o Senado

Atuais deputados federais, Espiridião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) vão se mudar para a Câmara Alta do Congresso Nacional em 2019. Os dois foram eleitos senadores catarinenses na eleição deste domingo (7). Mais cotado nas pesquisas, Amin ficou em primeiro lugar. Ele recebeu 1.226.064 votos, correspondentes a 18,77% do eleitorado. Correndo por fora, mas também cotado, Jorginho ficou com 1.179.757 votos (18,07%).

A disputa ao Senado contou com alguns “titulares” da política catarinense. O ex-governador Raimundo Colombo (15,30%), o senador Paulo Bauer (12,28%) e a ex-senadora Ideli Salvatti (5,15%) foram superados pela dupla vencedora e pela surpresa Lucas Esmeraldino (PSL), candidato que se beneficiou pela adesão catarinense a Jair Bolsonaro. Ele fez 17,79% dos votos e por pouco não ficou com a segunda vaga.

Gelson Merisio (PSD) vence primeiro turno com pequena vantagem
Comandante Moisés (PSL) surpreende e chega ao segundo turno
Joinville renova a bancada na Câmara dos Deputados
Joinville mantém três deputados na Alesc, mas dois são novos

Aos 70 anos, Amin (PP) é o candidato mais experiente desta eleição estadual. Dos cargos eletivos em Santa Catarina, só não foi vereador. Mas não venceu eleições no início da carreira, pois foi nomeado prefeito de Florianópolis pela ditadura militar em 1975. Anos depois foi eleito deputado federal pela Arena em 1978. Enquanto a ditadura definhava, a Arena se metamorfoseou em PDS, partido pelo qual Amin se elegeu governador em 1982 e prefeito da capital em 1988. Chegou ao Senado pela primeira vez ao vencer a eleição de 1990.

Foi o primeiro catarinense a disputar a presidência da República, em 1994, pelo PPR (uma nova metamorfose da sigla), e perdeu. Quatro anos depois disputou novamente o governo de SC, pelo PPB (nova metamorfose partidária) e voltou ao cargo. Ao tentar a reeleição, em 2002, já pelo PP (o último estágio da transformação da Arena), perdeu para Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Tentou novamente em 2006 e perdeu de novo. Buscou mais uma vez a prefeitura de Florianópolis em 2008, porém perdeu para Dário Berger (no PSDB naquela ocasião). Foi eleito deputado federal em 2010 e reeleito em 2014, cargo que ocupa na atual legislatura.

Amin é natural de Florianópolis. Casado com a ex-deputada federal Ângela Amin, tem três filhos, sendo um deles o deputado estadual João Amin (PP), que foi reeleito. É formado em Administração pela Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG) e em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), da qual é professor titular no curso de Administração. Seus suplentes são Geraldo Althoff e Denise dos Santos.

Jorginho Mello, nasceu em Ibicaré, no Oeste de Santa Catarina, em 1956. Aos 19 anos foi eleito o vereador mais jovem do Brasil, em Herval d’Oeste. Advogado e bancário, foi gerente e diretor do Banco do Estado de Santa Catarina (BESC) entre 1975 e 2002. Também foi conselheiro do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) de Florianópolis, em 1999. Foi eleito deputado estadual em quatro pleitos, chegando à presidência da Alesc em 2009 e 2010. Chegou à Brasília em 2011 e foi reeleito em 2014. Seus suplentes são Ivete da Silveira (viúva de LHS) e Beto Martins.

Texto: Felipe Silveira
Foto: Montagem a partir de fotos das redes sociais dos candidatos

2 comentários em “Espiridião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) vão para o Senado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *