Moradores impedem obra da Águas de Joinville na Praça Tiradentes

Os moradores do bairro Floresta fizeram duas manifestações na última semana. Uma delas às pressas, na manhã de quarta-feira (4), para impedir uma obra da Companhia Águas de Joinville (CAJ) na Praça Tiradentes, no coração do bairro. A segunda ocorreu na sexta-feira (6) e fez parte da campanha “Tirem as mãos da Praça Tiradentes”.

O movimento que leva o mesmo nome da campanha tem o objetivo de impedir a instalação de uma estação elevatória de esgoto na praça. A Águas de Joinville alega que aquele é o melhor lugar para a instalação do equipamento, por ser o ponto mais bairro da bacia hidrográfica. Segundo a CAJ, outros locais foram estudados e, por questões técnicas ou legais, descartados. O movimento de moradores afirma que é favorável a obras de saneamento no bairro, mas não aceita a imposição e que a obra atenda necessidades privadas.

Representantes da empresa de saneamento e comunidade já fizeram reuniões para discutir o assunto. Em uma delas, ficou acordado que a obra teria início apenas na segunda quinzena de abril e que ocorreriam mais reuniões para criar um acordo.

Moradores se mobilizaram às pressas para impedir a obra

A manifestação de quarta-feira contou com 43 moradores do bairro. A motivação foi a presença de uma máquina na praça na tarde de terça-feira (3). Com isso, os moradores consideraram o acordo quebrado por parte da Companhia Águas de Joinville. De acordo com a assessoria de imprensa da CAJ, aquela obra não estava relacionada à instalação da elevatória, de modo que o acordo não foi rompido.

“A obra de terça é uma consequência da rede que está sendo implantada na rua Santa Catarina desde o ano passado. Não era obra da elevatória, propriamente dita. Precisávamos fazer a travessia da rua Santa Catarina pelo método não destrutivo, ou seja, sem danificar o asfalto, e aquele era o ponto onde ocorreria a ligação da tubulação. A obra de terça era apenas para a colocação de um tubo, que ficaria enterrado e sem trazer qualquer prejuízo para a praça. Ela seria concluída em dois dias”, informou a assessoria.

Diante da situação, os técnicos da companhia interromperam a obra na praça, que até então consistia em um buraco de 30 centímetros, e recuperaram o espaço. A empresa decidiu não fazer interferências na praça até que as reuniões comunitárias mostrem que a população está confortável com a implantação da rede de esgoto.

Assim, o início da obra, previsto para abril, também foi adiado. “Após algumas reuniões comunitárias, percebemos uma série de dúvidas da população e essa data não estava mais valendo. As conversas com a comunidade continuam”, explicou a assessoria da CAJ.

A CAJ frisa que se a implantação da elevatória for mesmo realizada na Praça Tiradentes, ela não trará desconfortos como mau cheiro, por exemplo. “Ela não impedirá que os moradores usem o espaço da mesma forma como usam atualmente. A rede de esgoto traria uma série de benefícios ao bairro, como qualidade de vida e valorização dos imóveis”, registrou a assessoria da Águas de Joinville.

Os moradores seguem mobilizados para evitar a realização da obra na praça. Centenas de pessoas compareceram ao ato na manhã de sexta-feira em que foi realizado um abraço dos moradores no local. Em mensagem pelo Facebook, o movimento disse que entrou com um requerimento no Ministério Público “para paralisar as obras e ocorrer um acordo efetivo entre a empresa águas e a comunidade organizada”. Segundo os moradores, as reformas propostas pela CAJ são mentiras, pois são obrigações da prefeitura.

Texto: Felipe Silveira
Fotos: Movimento Tirem as Mãos da Praça Tiradentes