Univille inaugura laboratório de histologia em São Francisco do Sul

Pesquisadores da Universidade da Região de Joinville (Univille) contam com um espaço e equipamentos para estudos de histologia, a área que estuda os tecidos vivos. Já está em funcionamento, na unidade de São Francisco do Sul, o Laboratório de Processamento Histológico (Laphis).

De acordo com Gladys Daniela Rogge Renner, coordenadora do Laphis, o objetivo do laboratório é contribuir com a análise dos padrões de mortalidade da fauna da Bacia de Santos. Por isso, a unidade conta com  equipamentos de tecnologia avançada para análise de maturidade sexual de mamíferos e aves encontrados mortos durante o monitoramento das praias de toda Santa Catarina e também do Paraná.

O laboratório recebe amostras oriundas da Universidade do Vale do Itajaí (Univille), Associação R3 Animal, Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Universidade Federal do Paraná (UFPR), instituições que executam o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

O processo para análise é iniciado junto às equipes de campo do PMP-BS, que recolhem a carcaça dos animais encontrados mortos durante o monitoramento diário das praias. No laboratório, uma equipe composta por veterinários e técnicos faz a necropsia do animal, quando são retirados os órgãos sexuais (gônadas). No entanto, nem todos os animais podem ser analisados. Segundo a doutora Gladys, tudo depende da condição da carcaça, sendo que muitos animais chegam à praia em avançado estado de decomposição, o que não permite a realização das análises.

A coordenadora do Laphis explica que o laboratório traz uma contribuição muito importante nas análises realizadas pelo PMP-BS, assim como também para as pesquisas da Univille. Com esta estrutura, pode-se conhecer melhor a biologia reprodutiva das espécies.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais mortos.

Edição: Felipe Silveira
Fotos e informações: PMP-BS/Univille