Empate em Bragança Paulista deixa JEC com chances ínfimas de classificação

O acesso do Joinville à Série B do Campeonato Brasileiro ficou praticamente impossível. Na tarde deste domingo (3), no interior de São Paulo, o Tricolor ficou apenas empate em 1 a 1 com o Bragantino. O gol joinvilense foi de Rafael Grampola. Gilberto anotou para o Massa Bruta.

Com o resultado, o Joinville alcança os 22 pontos e não corre mais risco de ser rebaixado. Já o Bragantino continua no Z2, com 18 pontos, a mesma pontuação do Macaé.

Na última rodada, o JEC enfrenta o rebaixado Mogi Mirim, que neste sábado venceu o Macaé por 3 a 0. Além de vencer o Mogi, o Tricolor precisa de uma combinação de resultado para ir ao mata-mata: duas derrotas do Volta Redonda (Tupi, nesta segunda, e São Bento, no próximo sábado), empate entre Botafogo e Ypiranga e vitória do Macaé sobre o Tombense.

O início de jogo foi de sufoco do Massa Bruta. Pressionando o Joinville no campo de defesa, os mandantes criavam as melhores chances. Aos sete, Adriano entrou livre na área e, cara a cara com Matheus, chutou em cima do goleiro tricolor, que espalmou para o lado. A primeira boa chegada do JEC veio aos dez minutos. Após cruzamento, Bruno Rodrigues chutou forte, mas para fora.

Aos 21 minutos, quando o Joinville conseguia equilibrar a partida, Charles presenteou o Bragantino com um pênalti ao colocar a mão na bola. Na cobrança, Anderson Ligeiro acertou o travessão, desperdiçando a chance de abrir o placar. O Massa Bruta seguiu melhor no jogo, mas foi o Joinville que marcou. Após lançamento em profundidade, Grampola, com um leve desvio de cabeça, venceu o goleiro Renan Rocha, que chegou a tocar na bola.

A defesa do Joinville seguia vacilando. Aos 34 minutos, Rafael Chorão foi mais um a parar no Matheus, após frente a frente com o arqueiro tricolor em jogada de contra-ataque. Cinco minutos depois, mais um contragolpe. Desta vez, quem impediu o gol do time paulista foi seu próprio jogador. Matheus Peixoto chegou a passar por seu xará joinvilense, mas preferiu simular uma penalidade, não marcada pelo árbitro.

No intervalo, o técnico Pingo colocou o volante Kadu no lugar de Breno, que jogava na vaga deixada por Eliomar. Logo aos dois minutos, após mais uma falha da defesa tricolor, o Bragantino chegou ao gol de empate. Depois de escanteio, Gilberto, sem ser incomodado, chutou forte, sem chance para Matheus. O Joinville sentiu o gol, ficando acuado no campo de defesa.

Marlyson, destaque nos treinamentos da semana, entrou no lugar de Lúcio Flávio aos 19 minutos. Aos 22, Matheus novamente salvou o Joinville. Bruno Oliveira fez bela cobrança de falta, exigindo grande defesa do goleiro jequeano. A primeira chegada com perigo do JEC saiu do pé de Kadu. O volante recebeu passe de Bruno Rodrigues e chutou forte, mas em cima de Renan Rocha.

A terceira substituição aconteceu por conta da lesão de Alex Ruan, que sentiu o tornozelo. Fernandinho entrou em seu lugar. Com o empate não ajudando nenhum dos times, os minutos finais de jogo foram de lá e cá. Aos 49 minutos, Felipe Silva driblou Max e chutou com muito perigo, à direita de Matheus.

Após a partida, o presidente do Joinville, Jony Stassum, comentou o situação do clube na Série C. Para o dirigente, o Tricolor já teve suas chances, com resultados de adversários favoráveis.

“Temos que esquecer (essa possibilidade de acesso)”, afirmou o presidente. O mandatário já pensa na próxima temporada. “Agora é hora de esfriar a cabeça. Ver quem tem contrato, analisar e se preparar”, disse, lembrando também que o clube tem a Copa Santa Catarina antes de terminar o ano.

Texto: Yan Pedro Kuhnen
Foto: Beto Lima/JEC